O caso, ocorrido no dia 23/07, na pequena cidade de Keene, estado de New Hampshire (EUA), surpreendeu muita gente.

Segundo informações da emissora de TV WMUR, uma testemunha teria pedido ajuda às autoridades policiais, relatando que havia uma criança trancada dentro de um carro no estacionamento de um supermercado da cidade. O pedido de #Resgate foi imediatamente atendido pelo policial Jason Short, que se dirigiu ao local informado. 

Chegando no estacionamento, Jason identificou o carro e avistou a criança em seu interior. Como o carro estava trancado e o dono não foi localizado, foi necessário quebrar o vidro do automóvel para resgatar, o que ele acreditava ser um bebê.

Publicidade
Publicidade

Ao perceber que a criança estava imóvel e não respirava, o policial passou a realizar a manobra de reanimação cardiorrespiratória, conhecida como respiração boca a boca. 

O resgate e a surpresa

Jason Short explicou à emissora americana que a criança parecia não ter vida e que, ao introduzir um dedo em sua boca, percebeu uma certa resistência e que, só então, se deu conta de que se tratava de uma boneca. Não havia bebê algum no local para ser socorrido, apenas uma boneca hiper-realista.

De acordo com as informações da emissora de TV, a dona da boneca seria uma norte-americana de nome Calolyne Seiffert. Ela é dona do "brinquedo" hiper-realista, e ainda possui uma coleção, com quase 50 outras bonecas do mesmo tipo. 

A "boneca-bebê" que foi resgatada pelo policial é chamada de Ainsley, e, segundo a dona, custa em média 2 mil dólares, em moeda brasileira, cerca de R$ 6,4 mil.

Publicidade

A perda de um filho deu início à coleção

Ainda, de acordo com explicações da mulher, ela deu início à fantástica coleção de "bonecas reais", após a morte de seu filho. Segundo ela, essa foi a forma que encontrou para lidar com a perda. A situação toda gerou uma grande confusão e muitas risadas, por parte da mulher, que, em comunicado, diz ter sentido também um certo constrangimento, por ter confundido as pessoas com sua boneca-bebê Ainsley. 

Após o esclarecimento do episódio inusitado, o policial Jason Short afirma que, em hipótese alguma, deixaria uma criança correr risco de vida e que, apesar de ter sido uma alarme falso, faria tudo igual novamente, exatamente pelo fato de não ter passado por sua cabeça e nem das testemunhas envolvidas, que se tratava de uma boneca.

Jason Short ainda fez um apelo para que as pessoas que costumam passear com suas bonecas-bebês realistas, ao saírem do automóvel, carreguem suas "crianças" ou, caso contrário, as deixem em casa. #Mundo #Curiosidades