Avaliado como o maior país em extensão territorial do mundo (17,10 milhões de km²), a Rússia vem sendo palco de impactantes acontecimentos desde o início do século XX. Em 30 de junho de 1908, por exemplo, o evento celeste mais notório já ocorrido em tempos recentes na Terra, aconteceu na região siberiana de Tunguska.

Na ocasião, um objeto celeste caiu no local e devastou uma área florestal avaliada em milhares de quilômetros quadrados. Até hoje cientistas debatem o que de fato aconteceu naquela data.

No entanto, o segundo maior episódio envolvendo a queda de objetos do espaço também aconteceu na Rússia, em 15 de fevereiro de 2013.

Publicidade
Publicidade

Naquele ano, um pedaço de meteoro atravessou a atmosfera terrestre e atingiu a cidade de Cheliabinsk. Milhares de pessoas ficaram feridas. O evento foi batizado pela #Mídia de o ‘Meteoro de Cheliabinsk’.

Agora, a recente descoberta de uma bizarra criatura está deixando os cientistas russos com ‘a pulga atrás da orelha’. O monstrengo, achado em perfeito estado de conservação na pequena cidade de Udachny (Rússia), com população estimada em 12 mil habitantes, pode significar a presença de uma espécie animal ainda não catalogada.

De acordo com o jornal The Siberian Times, o ‘monstro’ foi detectado numa região conhecida como ‘diamantes de areia’, por garimpeiros que trabalhavam no local. Embora não tenham conhecimento técnico para avaliar a origem do emblemático animal, os garimpeiros conjecturam sobre o achado.

Publicidade

Para eles, que usam o termo “múmia monstra” como referência ao enigmático bicho, a descoberta pode ter evidenciado uma nova espécie de dinossauro, ainda desconhecida pela ciência. Porém, especialistas enfatizam o desejo de estudar a entidade de forma mais detalhada, antes de emitirem opinião a respeito.

Apesar de não terem certeza sobre a procedência da esquisita criatura, devido aos contundentes caninos identificados no bicho, cientistas avaliam a possibilidade de o animal ser um carnívoro semelhante a um pequeno urso.

Mesmo que a origem do ‘monstro’ permaneça desconhecida, especialistas destacam que ele viveu na época dos dinossauros, conhecida como Era Mesozoica, período que abrange de 252 a 66 milhões de anos atrás. Nesse tempo, os grandes répteis estavam no topo da cadeia alimentar.

Eles chegaram à conclusão de que a ‘múmia monstra’ existiu nesse período, devido ao fato dela ter sido encontrada nas areias diamantíferas que datam da era desses gigantes.

Até o momento, a criatura permanece não identificada. Todavia, as evidências apontam a uma espécie desconhecida de réptil. #Curiosidades #Internet