No dia 31 de julho de 1995, um incidente ufológico acabou envolvendo o Boeing 727, da empresa Aerolineas Argentinas, no voo 674, que partiu de Buenos Aires com destino a Bariloche. Na época, o voo era comandado pelo comandante Jorge Polanco. Outro fato que chamou a atenção, foi que, durante o incidente, a cidade de Bariloche teria sofrido um blecaute, ficando completamente às escuras por mais de quinze minutos. Enquanto isso, o avião voava a uma altitude próxima a 3 mil metros de altura, à espera de autorização para aterrissar.

O incidente acabou gerando grande repercussão por parte da imprensa Argentina. Durante entrevista para um jornal argentino, Polanco afirmou que estava há 15 minutos da aterrissagem, distante 64 km da pista, a torre havia autorizado a aproximação por instrumentos.

Publicidade
Publicidade

Foi então que, após baixar de 12 para 3 mil pés, foram avisados sobre o blecaute onde foram ordenados a aguardar autorização para o pouso.

Ele ainda conta que, após de arremeter a aeronave, subindo para 12 mil pés, teria percebido uma luz da coloração branca, a qual mantinha-se a 100 metros distantes do local de onde estava. De repente, o #Ovni realizou uma manobra para desviar do Boeing e continuou acompanhando a aeronave durante o voo, mantendo-se a 100 metros de distância.

O capitão ainda conta que percebeu outra aeronave a 600 metros do Boeing, mas esta, por sua vez, pertencia à Polícia Argentina. Entretanto, já com a pista à vista e pronta para aterrissagem, as luzes do aeroporto começaram a piscar repentinamente, fazendo com que o piloto arremetesse outra vez. Os controladores do voo haviam informado que os instrumentos haviam falhado e, por isso, o 727 deveria aguardar novamente autorização para pouso.

Publicidade

Após 10 minutos de  espera, finalmente, o Boeing teve concebida a tão aguardada autorização para pouso.

Após aterrissar no aeroporto, o comandante do voo 674 ainda conta que olhou novamente para céu e observou o OVNI subir na diagonal. O qual começou a ser perseguido pelo avião das autoridades argentinas. O Cheyenne, que perseguiu o UFO, era pilotado por Rubén Cipazyk. Entre os tripulantes do aeronave, estava o comandante Joan Domingo Gantán. Este, por sua vez, afirmou que, após alguns minutos de perseguição, os pilotos perderam o objeto de vista em uma região próxima a Cerro Otto.

Na época, o caso gerou grande impacto tanto na mídia nacional, quanto na mídia internacional. Na ocasião, especialistas da Nasa foram enviados  para Buenos Aires, a fim de coletar informações dos envolvidos no incidente. Até o momento, este é caso mais real e espetacular já relatado por pilotos tanto civis quanto militares. #casos ufológicos #Curiosidades