Ken Wharfe foi responsável pela segurança da princesa #Diana por vários anos, mas foi na sua ausência que a 'princesa do povo' acabou morrendo. Agora, o detetive aponta culpados para essa morte e acredita que se a sua equipe de segurança estivesse presente, Diana não teria morrido naquela noite, em Paris. A poucos dias de se completarem dezenove anos da morte da princesa de Gales, Wharfe fala em falhas na segurança e comentou ainda as teorias conspiratórias que dão conta, desde 1997, de um possível planejamento da morte de Diana. 

Segurança falhou na noite do acidente de Diana

Ken Wharfe não consegue esconder o choque que sofreu quando lhe ligaram, falando que Diana estava morta.

Publicidade
Publicidade

Durante seis anos foi ele o responsável por proteger uma das personalidades mais perseguidas e queridas de todo o mundo e, como tal, sabia melhor que ninguém como o fazer. Por isso mesmo, não duvida de que aconteceram alguns erros graves, que teriam levado à morte da princesa. 

Para começar, Wharfe nunca aceitou bem a equipe de segurança que estava com Diana e o seu namorado, Dodi Fayed, em Paris. Enquanto que o departamento de Wharfe estava protegendo Diana há mais de quinze anos, essa equipe esteve com ela e Fayed durante dois meses, para além de não saberem como proteger um elemento de uma #Família real, como era o caso de Diana. 

Trevor Rees-Jones, o guarda-costas de Diana é o principal alvo das críticas de Wharfe. Trevor foi o único sobrevivente do acidente de carro, que vitimou, em 1997, a princesa Diana, o namorado e ainda o motorista do carro.

Publicidade

Mas, para o detetive Ken Wharfe, ele não teria preparação suficiente para proteger a princesa e nem teria tentado se preparar para isso, lembrando que ele poderia ter contatado a Scotland Yard, procurando indicações do que fazer quando estivessem em Paris. 

Uma das principais acusações contra Rees-Jones é que ele nunca teria entendido os paparazzi, e que via suas câmeras como armas de fogo. Para ele, disparavam balas e não flashes. Por isso mesmo, ele teria dado ordens para acelerar o carro, quando estavam fugindo somente de câmeras fotográficas e eles escolheram fugir como se de tiros se tratasse. O excesso de velocidade teria causado o acidente fatal. 

Família real inglesa planejou acidente de Diana?

Foi uma das teorias que ficou marcando os meses seguintes da morte da princesa mas ainda hoje são muitos os comentários sobre a possibilidade de a família real ter planejado esse acidente. No entanto, Wharfe não acredita nessa teoria que considera pura conspiração. A teoria nasceu de vozes que sabiam que a família real queria evitar, por todas as formas, que Diana casassem com um muçulmano, até porque seu casamento com o príncipe Carlos não tinha dado certo. "Acho isso impossível. Na minha opinião profissional, não vejo qualquer prova que suporte essa teoria", contou o detetive. 

E o leitor, o que pensa de tudo isso? Quem teve mais culpa nesse acidente terrível? Comente sua opinião! #Europa