Samantha Hopkins estava grávida de 36 semanas quando um terrível ##Acidente lhe tirou a vida. Cansada e desconfortável com o tamanho e peso provocados pela gravidez, quase no final do tempo, essa mulher se deitou para dormir no sofá. No mesmo dia em que tinha se mudado do quarto, que partilhava com o companheiro, Steven Collett, para a sala de estar, Samantha acabou caindo do sofá. Na queda, a inglesa de 29 anos, bateu com a cabeça, sofrendo um hematoma subdural, do qual não conseguiu se recuperar. Junto com Samantha, também a bebê que estava esperando não resistiu, morrendo também. 

Foi um dos filhos de Samantha que a encontrou caída no chão e desacordada, pela manhã.

Publicidade
Publicidade

O menino correu para avisar o pai, que alertou rapidamente os paramédicos. Quando Steven encontrou a mulher, caída, ela já não estava respondendo, se encontrando desmaiada. A vítima ainda seria levada para o hospital, mas, apesar de todos os esforços médicos, a reanimação já não seria possível, acabando as duas morrendo, na sequência desse acidente doméstico. 

O caso foi investigado, mas ficou concluído que foi mesmo um acidente. Alegadamente, a mulher estaria se levantando do sofá, quando teria caído e batido com a cabeça. Foi esse batimento que provocou a sua morte e, por consequência, também a da bebê. 

Mãe de dois filhos e prestes a ser tornar mãe, também de uma menina, Samantha perdeu a vida dessa forma, deixando os dois filhos e o companheiro, Steven. O namorado explicou mesmo que Samantha pensava que o sofá seria mais confortável para ela dormir.

Publicidade

Com 36 semanas de gravidez, ela já não estava encontrando posição para se deitar e o cansaço acabou levando a melhor sobre ela. Sem resistir mais, trocou a cama pelo sofá, onde estava tentando passar uma noite mais tranquila, quando a ##Tragédia aconteceu. 

Para o médico legista, não restam dúvidas que tudo não passou de um "trágico acidente". David Horsley lamentou esse terrível incidente, especialmente porque por causa disso, uma ##Família ficou destroçada. Se perderam duas vidas, e outras duas ficaram "privadas" da companhia e presença de uma mãe, de apenas 29 anos.