Essa é a difícil história de vida de Zephany Nurse, que viveu em um “conto de fadas”, por dezessete anos, e já estava se preparando para os dezoito anos, quando descobriu a verdadeira história de sua vida.

Ela sempre foi o mundo para sua “mãe”, o “pai” a tratava como uma verdadeira princesa, sempre teve tudo que eles podiam dar, além de amor, carinho e atenção.

Descobrindo a verdade

Zephany Nurse vê sua vida virar do avesso ao descobrir que a mulher tão encantadora e amorosa não era sua mãe biológica e sim uma sequestradora, que havia lhe raptado na maternidade ainda recém-nascida.

Conheça mais o caso

O nome Zephany Nurse foi o nome escolhido pelos pais biológicos, ainda na maternidade onde ela nasceu, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

Publicidade
Publicidade

O nome que ela usou durante toda vida é sigiloso, para assegurar a identidade da jovem. Ela é considerada a "Madeleine McCann" (a menina filha de um casal inglês que desapareceu num hotel em Portugal) africana.

Seus pais biológicos, Celeste e Morne Nurse, procuraram todos esses anos pela filha Zephany Nurse, mas só descobriram o paradeiro, quando outra filha do casal, que frequentava a mesma escola que a irmã, desconfiou da semelhança e avisou os pais, que levaram as suspeitas à polícia, que, ao investigar, descobriu, através de exames de DNA, que a adolescente era realmente a filha desaparecida do casal. O mais impressionante é que a menina morava a poucos quilômetros de sua família biológica.

A decisão da adolescente

A adolescente, mesmo depois da descoberta, afirmou querer ficar com a mulher que a sequestrou e a criou como filha, isso aconteceu, de acordo com pessoas próximas e que acompanham o caso, pelo fato da garota ter desconstruído sua vida e até sua própria imagem.

Publicidade

 

Zephany não falou diretamente à imprensa, mas relatou, em um comunicado ao Centro de Justiça infantil, que a mulher que a sequestrou era mãe dela, sendo verdade ou não, que não queria brincadeiras com isso.

Segundo psicólogos que acompanham o caso, essa atitude é normal, pois a adolescente criou vínculos de toda uma vida ao lado dessa família, onde ela formou sua identidade, até que tudo fosse desconstruído com a dura realidade.

A versão da sequestradora

A mulher de 51 anos de idade, que também não teve sua identidade revelada, afirma que foi enganada por uma mulher chamada Sylvia, que lhe entregou a criança ainda recém-nascida em  uma movimentada estação de trem, essa mulher não foi encontrada.

A versão da sequestradora foi desmentida pela polícia, pois a acusada sofreu diversos abortos naturais, e já havia ido vária vezes à maternidade, tentando roubar uma criança.

Embora o marido da acusada só tenha tido conhecimento do caso, quando a verdadeira identidade da adolescente veio à tona, ele afirmou que ela era uma excelente mãe.

A garota continua morando com ele enquanto seus pais biológicos nutrem a esperança de que Zephany, um dia aceite, ir morar com eles. #Crime #Investigação Criminal