Um homem americano, foi condenado a 40 anos de prisão por jogar água quente em um casal gay. O caso aconteceu em fevereiro, em Atlanta, e o ataque aconteceu quando o casal dormia durante a noite. Anthony, uma das vítimas, e seu companheiro sofreram queimaduras gravíssimas e foi preciso fazer uma cirurgia de reconstituição para reparar os danos. O crime foi notícia em todo país, por se tratar de uma barbaridade. A condenação de Martin foi notícia em vários jornais americanos hoje.

Martin Blackwell namorava a mãe de uma das vítimas, Kim Foster, mãe de Anthony Gooden. Tudo aconteceu na casa da tia de Gooden. Blackwell foi considerado culpado pelo júri em 8 acusações de lesão corporal grave.

Publicidade
Publicidade

Segundo o juiz que determinou a sentença, Henry Newkirk, que atua na corte do condado de Fulton, disse que Martin agiu de forma maliciosa e impiedosa. "Ele agiu de forma lúcida, sabia o que estava fazendo, não era louco" afirmou o Juiz Newkirk.

A advogada de defesa de Martin, Monique Walker, disse que o ato de seu cliente não foi motivado por ódio, e sim, por se tratar de uma anormalidade para Martin, que afirmou que em sua época isso não existia, concretizando assim, o #Preconceito que ele tinha com os jovens homossexuais. 

Anthony Gooden, de 24 anos, ficou cerca de 1 mês internado, desse tempo, 2 semanas foram em coma induzido. Já o namorado de Anthony, Tolbert, de 21 anos, ficou apenas 10 dias internado. O relacionamento dos dois tinha apenas um mês e não tinha a aprovação do padrasto de Anthony.

Publicidade

Não foi constado que Martin tinha problemas internos na família com seu enteado.

Tolbert disse estar aliviado com a condenação e a pena que foi dada ao agressor. "Estou muitos feliz. A justiça foi feita" disse Tolbert. A sentença poderá aumentar no decorrer dos anos, podendo chegar até a 80 anos de reclusão.

Em muitos países ao redor do mundo ainda há muito preconceito com os homossexuais, muitos sofrem agressões físicas e verbais. Em alguns países, este tipo de preconceito pode resultar até em uma condenação. #Homofobia