Ele se chama Waluyo, é indonésio, tem 62 anos e ano passado, em maio, saiu de casa para trabalhar - ele saiu de Suryoputran Panembahan, uma vila em Jogyakarta, para trabalhar de gari, na cidade de Semarang, na Indonésia.

Acontece que ele não voltou para casa e então sua esposa, Alim Eskatinah, ligou para a polícia. Os policiais então a informaram que seu marido havia se envolvido em um acidente de carro e estava na emergência, em estado muito grave. A família  e alguns vizinhos correram até o hospital, mas ao chegar lá, o homem já havia morrido, em decorrência dos ferimentos do acidente. Ele morreu em 7 de maio de 2015 e muitos familiares, amigos e vizinhos acompanharam o seu funeral, contou a sua filha, ao jornal indonésio Detik.

Publicidade
Publicidade

Waluyo, supostamente morto, volta para casa, um ano depois

Acontece que, há algumas semanas atrás, Waluyo  voltou para casa - e é claro, deu um grande susto na família e em todos que o velaram e enterraram. Sua esposa contou aos repórteres que ficou chocada, perdida e que não sabia se aquela situação era real ou não. "Como pode uma pessoa morta voltar à vida?", ela se perguntou.

O reconhecimento

Muito chocada e não acreditando, a esposa  de Waluyo disse que não acreditou até checar alguns traços físicos: uma cicatriz que ele tinha nas costas e um dente, que lhe faltava. Depois de verificar isso, pediu que o homem lhe disse o nome de alguns parentes.

Depois de tudo verificado, eles ouviram a sua história, ele contou que estava o tempo todo em Semarang, trabalhando como gari, mas que como não tinha um celular para ligar, nunca entrou em contato com a família.

Publicidade

Quem era o homem que morreu no acidente?

Com tudo isso, muitas questões foram levantadas acerca do homem que morreu e que, supostamente, era Waluyo: como ninguém se deu conta que não era ele e por que a polícia achou que era Waluyo a pessoa envolvida no acidente? A explicação que eles têm, por enquanto, como plausível, é que a pessoa que morreu era muito parecida com Waluyo, embora ele alegue que não tinha irmão gêmeo. Mas a semelhança era muita, já que a família confirmou que era ele, sem conferir os traços físicos (marcas, cicatrizes).

A polícia tem visitado Waluyo desde que ele voltou, para tentar descobrir algo que resolva o mistério sobre a pessoa que está enterrada como se fosse ele. A certidão de óbito dele foi anulada, mas ele agora passará por vários procedimentos para voltar a ser considerado uma pessoa viva. #Curiosidades