No extinto seriado francês Les Revenants, com apenas duas temporadas, pessoas mortas há anos retornam para casa sem lembrarem que haviam ‘deixado este mundo’. Embora seja impossível um indivíduo voltar à vida depois de ser declarado morto, um acontecimento ocorrido este ano, na cidade de Chihuahua (México), está repercutindo na imprensa internacional.

Conforme o periódico inglês Daily Mirror, edição de 29 de agosto, familiares do idoso Miguel Angel Gomar De Luna, 74 anos, ficaram horrorizados quando receberam ligação da polícia sobre o fato de o avô estar vivo. Em teoria, ele estava morto há meses. Inclusive, seu corpo tinha sido cremado.

Publicidade
Publicidade

 

Na época da suposta morte do idoso, ele havia fugido do asilo onde estava. Viciado em álcool, Miguel teria ido parar nas ruas, onde se envolveu em bebedeiras e viveu como mendigo por dois meses, até ser achado pela polícia.

Após autoridades identificarem o pretenso corpo do indivíduo, em estado avançado de decomposição, comunicaram aos familiares sobre a situação de Miguel. A partir deste momento tem início a confusão.

De acordo com declarações da filha do mexicano, Lucero Gomar Ramos, as fotos do corpo de seu pai, mostradas a ela pela polícia, expunham um cadáver em avançado estado de putrefação - quase impossível de identificar. Contudo, a filha havia atestado o fato de aquele corpo pertencer ao genitor.

Todavia, a mulher destaca que foi induzida a confirmar que o cadáver era de seu pai.

Publicidade

Lucero acrescenta o fato das autoridades terem dito que se ela não reconhecesse o corpo, ele não seria liberado para a família realizar a cerimônia fúnebre. A mexicana argumenta que se sentiu obrigada a assinar os documentos que atestaram o falecimento do idoso.

No entanto, apesar do caso só ter sido revelado pela imprensa neste mês, parentes contam que o ‘milagre’ aconteceu em 24 de fevereiro. Naquela data, policiais ligaram à família para dizer que tinham encontrado Miguel vivo. Meses após o hipotético corpo ter sido cremado.

O retorno

Depois de perambular por meses pelas ruas de Chihuahua, o idoso de 74 anos foi encaminhado à residência dos parentes. Ele ainda estava bêbado e com ataduras em volta da cabeça. Miguel teria sido agredido durante dias de bebedeiras nas ruas.

De acordo com um vídeo realizado pela emissora El Diario, que filmou o emblemático encontro familiar, Miguel aparentava confusão mental. Ele apenas conseguiu balbuciar algumas palavras. “Eles pensaram que eu estava morto, mas eu simplesmente caminhei e caminhei”, disse.

Até o momento, nem os parentes, nem a polícia sabe informar de quem era o corpo da pessoa que havia sido cremada no lugar de Miguel.

Agora, familiares enfrentam uma batalha jurídica para conseguir obter novos documentos ao idoso, oficialmente declarado morto.

#Curiosidades #Viral #Internet