Uma adolescente de apenas 14 anos, Brenda Meadows foi detida sob a acusação de ter matado seu pai, no dia 28 de julho. Tanto a mãe quanto outros integrantes da família saíram em defesa da menor, afirmando ser ela uma heroína.

Conforme relato da família à polícia, a mãe, Brendi Meadows (41 anos), e o falecido pai, Jonathan Meadows (também 41), estariam no meio de uma briga em casa pela manhã quando Brenda conseguiu pegar a arma do pai e atirar contra ele, que morreu ali mesmo. Naquele mesmo momento a mãe ainda ligou para o 911, telefone de emergência, para prestarem os primeiros socorros a Jonathan.

A mãe, Brandi, relatou à Fox News que há anos Jonathan praticava abusos contra ela, testemunhados pela filha e  que esta também sofria abusos constantes do pai.

Publicidade
Publicidade

“Sinto muito que ela tenha passado por tudo isso”, disse Brandi na última terça (02/08). “Ela é minha heroína. Ela me ajudou; ela ajudou a todos nós para termos uma vida melhor”. Há 5 anos atrás Brandi já havia pedido uma ordem de proteção mas depois desistiu de seguir adiante com o processo.

O advogado da menina, Ian Friedman, reafirmou que Brenda sofria abusos do pai desde quando ainda era criança, e que testemunhou os frequentes abusos do pai contra sua genitora.

Conforme testemunho da família, a suposta arma do #Crime seria constantemente usada pelo pai para ameaçar e afrontar qualquer familiar. “Ele usava aquela arma dentro da casa para intimidar, e todos na casa estavam aterrorizados”, disse o advogado de defesa.

Uma policial que trabalha na região, Martina Latessa, e que também é tia de Bresha, disse que a menina não tem histórico de violência.

Publicidade

Disse também que “desde o primeiro dia de nascida ela vivia dentro de um pesadelo”. A policial, que é meia irmã do supostamente violento pai, disse que ele era extremamente controlador e não permitia que ela visitasse a sobrinha. No final de maio Bresha teria fugido de casa e ido morar com a tia.

Latessa ainda disse, tentando conter as lágrimas: “Ela estava me implorando por ajuda”. Assim a tia direcionou a garota para a polícia de Warren e conversou com um policial. A tia ainda contactou o Departamento de Trabalho e Serviços de Família do Distrito de Trumbull.

Agora o processo de investigação policial está em andamento para apurar os fatos. Nesse meio tempo a família iniciou uma campanha no site Go Fund Me para arrecadar recursos que ajudem a custear a defesa da garota. Até a finalização desse artigo, o valor arrecadado já estava em 7.829,00 dólares (cerca de 25.800,00 reais). #Casos de polícia