Mais um caso de estupro, desta vez lá nos Estados Unidos, está chocando o mundo inteiro. Um menina de apenas 9 anos de idade foi drogada, sendo estuprada em seguida e logo depois foi assassinada. E tudo aconteceu justamente na véspera em que a garotinha faria aniversário. O #Crime aconteceu na noite desta última terça-feira (23) na cidade de Albuquerque, no Novo México. A polícia só foi encontrar o corpo da criança na quarta-feira (24).

A polícia agiu rápido e a mãe da criança foi presa, juntamente com um primo da vítima, sendo que ambos são suspeitos de estarem envolvidos no crime bárbaro. A notícia divulgada primeiramente pelo "The New York Daily News" chocou a todos nos Estados Unidos e agora o mundo inteiro se comove com a morte cruel da criança.

Publicidade
Publicidade

Victoria Martens sofreu barbaridades na mão da mulher que deveria ser a pessoa a protegê-la, mas a polícia descobriu que injetaram metanfetamina no corpo da menina que depois foi estuprada. Após sofrer abuso sexual, a criança foi esfaqueada e por fim estrangulada. O corpo da menina foi esquartejado e a polícia encontrou tudo enrolado em um lençol.

Graças a uma ligação anônima, a polícia foi até a residência da menina para saber o que estava acontecendo. A pessoa que fez a denúncia, disse que estava ouvindo alguns barulhos estranhos vindo da casa. Quando a polícia chegou ao local, entraram na residência e os agentes ficaram chocados com o que viram. Albuquerque Gorden Eden, chefe de polícia, contou que foi o homicídio mais terrível já visto em toda sua carreira, que jamais ele tinha presenciado uma barbaridade tão grande assim e completou: "Um total desrespeito à vida humana".

A polícia prendeu a mãe da criança, a principal suspeita do crime.

Publicidade

Michelle Martens tem 35 anos. O namorado dela também foi preso, Fabian Gonzales tem 31 anos. Outro suspeito é a prima da criança, Jéssica Kelley, 31 anos. Os três agora irão responder por abuso infantil, além de sequestro, ocultação de cadáver, além da acusação do crime de #Estupro e também de homicídio. #Casos de polícia