Um presidiário, que se encontra na cadeia por um outro ##Crime, revelou toda a verdade sobre o desaparecimento e morte de Brittanee Drexel, uma menina americana que desapareceu em 2009. A família já há muito que se conformou com o pior dos cenários, mas as revelações desse homem são ainda mais chocantes. A garota desapareceu de uma praia na Carolina do Sul, vítima de rapto, e desde essa época que a família pede que a #polícia encontre e puna os culpados por essa perda, que, até agora, não tem nenhum detido. Taquan Brown está cumprindo uma sentença de 25 anos, por um crime que não tem nada a ver com esse aí, mas contou para as autoridades que viu Brittanee nos últimos dias de sua vida, em 2009, e sua morte poderia ter sido ainda mais horrenda do que o pensado.

Publicidade
Publicidade

Se reaviva a dor da família Drexel, que há muito percebeu que o final para a menina foi o pior possível. No entanto, a polícia nunca encontrou um corpo, nem nada que possa provar como tudo teria acontecido. Essa confissão de Brown já está sendo investigada e poderia resolver um dos crimes mais bicudos dos Estados Unidos da América. 

Em seu depoimento, Brown implica Timothy Da’Shaun Taylor, na altura um jovem de 16 anos. De acordo com os comentários desse presidiário, ele teria visto Taylor abusando sexualmente de Britanny, junto com outros rapazes. A menina teria sido vítima de ##Estupro coletivo, durante vários dias, antes da sua morte. Brown teria visto isso, quando foi em uma casa, onde estavam guardando armas, drogas e dinheiro, em negócios criminosos que estavam mantendo. 

Alegadamente, Taquan Brown viu Brittannee tentando fugir dessa casa e pouco depois, escutou dois tiros.

Publicidade

Dias mais tarde, viu Brittanee pela última vez, quando viu o corpo da menina sendo jogado em um lago, com jacarés. Os assassinos teriam se livrado do corpo da adolescente, dando ela de comer para os jacarés. 

A polícia já tinha investigado Taylor nesse caso, mas acabou sem provas. Nesse momento, a investigação se reabre e a polícia está procurando bases para abrir uma nova acusação contra o rapaz, agora com 25 anos, que já esteve detido por outros crimes menores. Caso sejam provadas as acusações de Brown, esse jovem poderia apanhar prisão para a vida.  #Casos de polícia