Segundo informações do jornal Daily Mail há uma suposta teoria de que um continente seria centenas de milhares de anos mais jovem que o continente de Atlantis. Ainda, de acordo com informações, o continente de Mu, foi ilustrado pela primeira vez no final do século 19, pelo arqueólogo francês Augustus Le Plongeon. Tal teoria o ajudaria a entender os inúmeros símbolos encontrados em diversas partes do mundo. Por outra lado, a má notícia é que, para os defensores da teoria,  não existem provas suficientes que comprovem tal existência.

De acordo Le Plongeon, o continente teria originado todos os seres humanos na Terra. Referindo-se aos símbolos encontrados na civilização maia, muito semelhantes aos encontrados no antigo Egito.

Publicidade
Publicidade

O pesquisador francês também acreditava que tal continente teria sido submerso por uma catástrofe climática semelhante ao ocorrido em ''Atlantis'' e defensor da tese de que Mu, seria um continente colonizado por uma civilização muito avançada, a qual acabou afundando no mar do Atlântico.

De acordo com ele, os sobreviventes da catástrofe teram se refugiaram na América Central, enquanto outros, comandados pela rainha Mu, teriam fugido para o antigo Egito. Tal teoria continuou sendo defendida pelo escritor inglês, James, após a morte de Le Plongeon, ocorrida em 1908. Na ocasião, Churchward escreveu diversos livros em relação ao assunto, destaque  para “O #continente perdido de Mu , lançado em (1931).

Diferente de Le Plongeon, Churchward, voltou o foco da pesquisa para Índia. Foi onde ele teria encontrado algumas evidências muito antigas a respeito de escrituras sobre uma tábua de argila.

Publicidade

De acordo com ele, tais escrituras estavam sendo guardadas por um religioso local. Para Churchward, as escrituras estavam descritas em um idioma desconhecido, o qual apenas o religioso e outras duas pessoas puderam traduzir.

Mais tarde, ele acabou entrando em contradição com a teoria de Le Plongeon, afirmando de que Mu, estaria localizado sobre o Oceano Pacífico, estendendo-se pelas ilhas Marianas até o Havaí, incluindo Ilha de Páscoa, além da Mangaia. Ainda, de acordo com o estudo, a suposta catástrofe  teria ocorrido devido à erupção de um supervulcão. Após frequentes terremotos, o suposto continente acabou afundando por completo.

Anos mais tarde, o arqueólogo Willian Nive, conseguiu encontrar, no México, mais de 2 mil restos textuais. Os quais comprovariam a teoria de Churchward. De acordo com a pesquisa, tal civilização teria colonizado o suposto continente entre 10 mil e 40 mil anos atrás. Estima-se que, pelo menos, 64 milhões de pessoas viviam no continente antes dele ser completamente destruído. #Entretenimento #Curiosidades