Uma indiana identificada como, Farhat Unnisa, foi presa após ser flagrada com duas barras de ouro escondidas no interior de sua calcinha. Segundo o site Deccan Chronice, ela foi presa após desembarcar no aeroporto de Nova Délhi, vindo em um voo de Dubai, nos Emirados Árabes, na última segunda feira (22).

A mulher, desde o início, despertou a atenção das autoridades policiais pelo seu jeito de andar. Após ser abordada e revistada, os agentes teriam encontrado dois quilos de ouro escondidos dentro da roupa íntima da ladra. Informações da Unidade de Inteligência Aérea afirmam que conseguiram recuperar as barras e prender a ladra.

Publicidade
Publicidade

Embora ninguém possa afirmar o que a mulher pretendia fazer com as barras de #ouro, para muitos investir no metal é um excelente negócio. Sendo possível gerar lucro na compra de na venda do produto, de acordo com informações da Bolsa de Mercadorias e Futuro – Bovespa.  Atualmente, uma grama de ouro está avaliada em R$137,50, o que corresponde a 2817.08 rúpias. O bom preço pago ao produto é devido à escassez do mineral.

Apesar de ser escasso no mundo inteiro, em Dubai, considerada a cidade do ouro, o mineral tornou-se muito abundante no formato de joias e semijoias. Onde o mercado do ouro é uma das principais atrações turísticas do país. Em Deira, no centro da cidade, é onde a maioria dos estabelecimentos comerciais apresentam em suas vitrines diversos produtos banhados a ouro desde inúmeras joias, até roupas e calçados.

Publicidade

Acredita-se que foi lá onde Farhat Unnisa teria furtado o ouro.

Outro caso que gerou grande repercussão na Índia

O indiano Data Puge, de 48 anos, acabou tornando-se famoso no país, após adquirir uma camisinha dourada referente ao valor de 180 mil libras, aproximadamente 750 mil reais. Porém, no último dia (14), Puge foi encontrado morto próximo ao Balneário de Dighi, localizado na costa oeste da Índia.

De acordo com as informações do jornal Daily Mail, um dia antes de sua morte, Puge teria sido convidado pelo amigo do filho, Schubhan, de 22 anos, para participar de uma festa em sua casa. Após comparecer ao local combinado, Phuge teria sofrido uma emboscada, na qual acabou surpreendido por um grupo formado por mais de dez pessoas.

Testemunhas que presenciaram a cena afirmaram que Shubhan teria assistido ao pai ser morto sem fazer nada para impedir. A polícia trabalha na hipótese de que a vítima devia dinheiro para um agiota local, que resolveu se vingar armando a emboscada para cobrar o indiano.

O assassinato acabou despertando a curiosidade nas autoridades policiais pelo simples motivo de que Phuge sempre andava acompanhado por seguranças, mas, no dia em que foi assassinado, estava sozinho. A polícia informou que o caso continua sendo investigado. #Curiosidades #Casos de polícia