O assassinato de uma menina de 10 anos, na noite da última quarta-feira (24), na cidade mais populosa do estado do Novo México, Albuquerque (#EUA), está sendo considerado pela polícia local, o #Crime mais brutal já testemunhado pelas autoridades.

Embora a polícia do município esteja habituada a presenciar homicídios, a morte da estudante Victoria Martens, abalou os investigadores. Ela foi drogada com metanfetamina, teve o corpo desmembrado em uma banheira, e depois queimado.

Eles descobriram que a criança foi brutalmente morta pela mãe, Michelle Martens, 35 anos, com ajuda do namorado, Fabian Gonzales, 31, e da prima de Gonzales, Jessica Kelley, 31.

Publicidade
Publicidade

Conforme o jornal inglês Daily Mirror, edição de sexta-feira (26), para o chefe de polícia Gordon Eden, a cena encontrada no local foi nauseante. “Este é o ato mais horrível do mal que eu já vi ... um completo desrespeito da vida humana e traição por uma mãe", fala.

Segundo a polícia, além de drogada, Victoria também foi estuprada pelo namorado de sua mãe. Após a agressão sexual, ela teria sido esfaqueada e estrangulada. Depois de ter o corpo desmembrado e enrolado num cobertor, a ‘família’ da jovem ateou fogo nos restos mortais depositados sobre a banheira.

Impressionados com os pervertidos requintes de crueldade praticados contra a criança, detetives com anos de carreira declararam que esse assassinato é “o mais horrível ato do mal” que eles já testemunharam.

Primeiras impressões

De acordo com o periódico local, Albuquerque Journal, policiais foram chamados a um complexo de apartamentos, situado no bairro Arroyo Villas, após moradores observarem uma nuvem de fumaça saindo do local onde o crime aconteceu.

Publicidade

No interior do apartamento, eles visualizaram o cadáver de Victoria queimado sobre a banheira, enquanto outras partes do corpo foram achadas num saco plástico dentro de um cesto de roupas sujas. O piso do quarto da menina também estava manchado de sangue. Uma verdadeira cena de filme de terror.

O crime

Michelle Martens e o namorado Fabian Gonzales, cujo o relacionamento é de apenas 1 mês, antes do assassinato já enfrentavam várias acusações, entre elas abuso de menor. A prima de Gonzales, Jessica Kelley, havia ido morar com o casal e a criança apenas quatro dias depois de sair da prisão.

Segundo o relatório da polícia, a mãe da garota admite que o namorado e a prima forneceram mentanfetamina para a criança, com objetivo de ‘acalmá-la’, para que eles pudessem estuprá-la. Conforme a emissora CBS News, a garota foi morta no dia do seu aniversário de 10 anos.

A violência praticada contra Victoria emocionou o policial Tanner Tixier. Ele contou aos repórteres que devido ao estado de mutilação do corpo, não puderam identificar a forma como ela realmente morreu.

Publicidade

Contudo, acreditam que a garota tenha sido asfixiada ou ferida a facadas.

Os assassinos foram presos e serão levados a julgamento. O estado do Novo México aboliu a pena de morte. Portanto, a probabilidade é que eles sejam presos para o resto das suas miseráveis vidas.

#Curiosidades