Um dos momentos mais esperados para a mulher é o do casamento. Muitas garotas levaram esse sonho durante toda uma vida, planejando cada detalhe, até que chega o grande dia. Por se tratar de um momento especial, noivos e familiares costumam chorar ou ficar bastante emocionados. Um casamento nos Estados Unidos, no entanto, teve um motivo a mais para todo mundo tirar aquele "suor" dos olhos. Jeni Stepin entrou em uma igreja acompanhada de um idoso. Ele não era o seu pai, mas um homem até então desconhecido que carregava um pedaço do pai dela. O idoso recebeu o transplante de coração do homem que morreu e acabou tendo um tempo a mais de vida. 

O senhorzinho simpática que aceitou o convite da noiva para levá-la ao altar é Arthur Thomas.

Publicidade
Publicidade

Coube a ele levar Jeni até seu noivo. O caso ganhou grande repercussão em todo o planta. Um vídeo publicado pela emissora 'CBS' no Facebook com o casamento já tem mais de um milhão de exibições. O pai de Jeni morreu há dez anos. Em 2006, Michael Stepien faleceu e sua família decidiu que seus órgãos deveriam ser doados. Dessa forma, outro homem, Thomas, que já estava prestes a morrer, acabou sendo salvo pelo gesto de solidariedade e generosidade. O pai de Jeni foi brutalmente assassinado, mas a revolta do crime não tirou dela e da família a certeza que tudo o que é ruim pode ser de alguma maneira bom.

Assim, Thomas acabou sendo salvo e agora tem novos amigos. "Precisava de um coração ou ia morrer em poucos dias", disse o senhorzinho muito emocionado após levar a noiva até o altar. Ele também fez fotos ao lado da garota, como é tradicional entre os familiares de quem vai se casar.

Publicidade

A noiva convidou o senhorzinho para ir com ela ao altar através de uma carta. Os dois se conheceram um dia antes do casamento. Ela disse que ficou muito feliz por seu pai ter podido ajudar um senhor com um espírito tão positivo. "Isso foi muito especial para nós", finalizou ela. 

Veja abaixo o vídeo que mostra essa relação emocionante entre a filha, seu pai e um homem que não ganhou só um coração, como também uma nova família e novos amigos:

#É Manchete!