Ao longo de sua história, a Igreja Católica acumula rumores referentes a conspirações, as quais destacam-se inúmeros assassinatos, além de manobras escusas a fim de manter seus principais segredos a salvo. Embora tais afirmações sejam verdadeiras ou não, boa parte destes segredos estão ligados à Cúria Romana, que guarda a ''sete chaves'' os documentos com mais de 1700 anos de história. Há rumores que entre os inúmeros segredos guardados dentro do Vaticano encontrem-se alguns de contatos com entidades extraterrestres.

Especialistas afirmam que o assunto é tratado com muito cuidado pela Igreja Católica, principalmente na época do pontífice João XXIII. A primeira evidência em relação ao assunto veio a público momentos antes do falecimento do pontífice, ocorrido em 03 de junho de 1963.

Publicidade
Publicidade

De acordo com informações, quatro dias antes ocorreu um fato intrigante, no qual teria envolvido o astrônomo norte americano George Adamski, o qual mais tarde acabou confirmando ter sido contatado por uma entidade extraterrestre, a qual havia lhe atribuído uma missão: levar uma mensagem para o papa.

Segundo testemunhas, Adamski teria reunido-se com o papa em 31 de maio de 1963. Testemunhas afirmam que durante o encontro, os dois mantiveram-se reunidos durante a manhã toda, de portas fechadas, nos aposentos do pontífice. Pessoas próximas a João XXIII dão conta que ele também já havia sido contatado pela mesma entidade dois anos antes, em 1961, quando estava em um jardim na casa de veraneio Castelo Gondolfo. O livro Arquivo Extraterreno, do escritor Pedro de Campos, editorial 2012, aborda com mais detalhes a respeito do assunto.

Publicidade

Ainda de acordo com a reunião entre Adamski e o papa, na época, o astrônomo havia viajado com destino à Europa para realizar algumas palestras. Na ocasião, ele teria entrado no Vaticano carregando consigo um pacote em mãos. Após o encontro, quatro dias mais tarde, o papa acabou falecendo com o agravamento do câncer no estômago.

Testemunhas ainda afirmaram que no dia em que Adamski visitou o papa, ele estava acompanhado de uma jovem mulher; uma suíça conhecida como Louise Zinsstag, a qual era parente de Carl Jung, amiga do diplomata italiano Alberto Perego. Na ocasião, Adamski havia entrado no Vaticano por uma porta lateral. Mais tarde, ele foi visto saindo do Vaticano carregando consigo uma medalha pontifícia dada a ele pelo próprio João XXIII. De acordo com testemunhas, tratava-se de uma medalha dourada de honra ou paz.

O fato não passou despercebido pelo pesquisador norte americano Ronald Caswell, o qual começou a interrogar a Igreja Católica a fim de obter informações sobre o encontro.

Publicidade

Para ele, mais estranho que a medalha papal foi a resposta dada pelo Vaticano. Uma carta foi enviada para Caswell, escrita pelo cardeal italiano Amleto Cicognane. Como resposta, o cardeal cita que não podia revelar o teor do assunto por se tratar de um documento confidencial.

Sendo assim, o mistério permanece até hoje. Afinal, que mensagem o suposto contatado teria para apresentar ao papa? A única certeza que sabemos é que tal mensagem permanecerá guardada e jamais será revelada ao público em geral. #casos ufológicos #extraterrestres #Curiosidades