A Polícia Federal está fechando o cerco para prender o suspeito de tirar a vida das três #Brasileiras que estavam desparecidas desde fevereiro, em #portugal. Os corpos de Michele Santana Ferreira, de 28 anos, da sua irmã Lidiane Neves Santana Ferreira de 16 anos e de uma amiga das duas, Thayane Milla Mendes, de 21 anos, foram localizados nesta sexta-feira (26), dentro de um barril com água, em um pet shop para cães e gatos em Cascais, perto da cidade de Lisboa, em Portugal. 

As irmãs assassinadas eram de Campanário, em Minas Gerais e a amiga delas era de Nova Venécio, no Espírito Santo. Michele já morava em Portugal há 8 anos e em novembro do ano passado sua irmã Lidiane foi morar com ela em Cascais.

Publicidade
Publicidade

No mês de janeiro, Thayane se juntou às duas. 

O acusado de matar as mulheres é o auxiliar de serviços gerais Dinai Alves Gomes, ex-namorado de Michele, que estava grávida de três meses. Dinai, que é da cidade de Novo Cruzeiro, também em MG, trabalhava no local onde os corpos foram encontrados e voltou ao Brasil logo após o desaparecimento das mesmas, alegando para a família da ex-companheira que as mulheres tinham ido de mudança para Londres. Dinai é procurado pela Superintendência da Polícia Federal de Minas Gerais, pois desapareceu assim que foram localizados os corpos no local em que trabalhava.

A Polícia Portuguesa trabalha com duas linhas de investigações quanto ao motivo para o triplo assassinato. Eles descobriram que Dinai era extremamente conservador, e a motivação poderia ser homofóbica, por causa do relacionamento amoroso entre a cunhada Lidiane e a outra moça Thayane.

Publicidade

Outra linha de investigação é o fato de Dinai ser casado com uma mulher no Brasil, com quem tinha filhos, e ter cometido o crime para esconder o seu relacionamento com Michele, que estava grávida.

Campanha para trazer os corpos para o Brasil

Desde que as jovens brasileiras desapareceram, uma amiga da família iniciou uma campanha para arrecadar fundos para descobrirem o paradeiro das irmãs. Depois da confirmação das mortes, o valor arrecadado foi revertido para uma campanha, que passou a ser para conseguirem recursos para fazer o translado dos corpos para o Brasil, em Campanário.

Toda a mobilização é feita através do site GoFundMe, em nome de Michele Santana Ferreira.  #Investigação Criminal