O #Estado Islâmico e seus seguidores continuam causando pânico e terror no mundo inteiro. E para o maior grupo terrorista de todos os tempos, não importa quem são as pessoas que irão cumprir os seus objetivos, quanto mais seguidores com coragem para sacrificar a própria vida para defender o grupo, melhor. Eles não se importam nem mesmo quando se trata de uma criança. Graças à ação rápida de policiais iraquianos, um menino não conseguiu explodir uma bomba neste fim de semana.  

O caso ocorreu neste domingo (21), quando policiais da cidade de Kirkuk, no #Iraque, prenderam um #menino-bomba, com idade aparente entre 12 e 13 anos, que estava com artefatos presos em seu corpo.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações repassadas pelo site Rudaw, o menino ainda não foi identificado, tinha a intenção de se explodir juntamente com a bomba, mas foi apreendido e impedido por agentes policiais.

Toda a cena foi registrada em vídeo por um repórter do site e mostra o menino sendo imobilizado pelos braços, pelos policiais, e o momento em que os mesmos rasgam a sua camisa e mostram a bomba enrolada em volta da sua barriga.

No vídeo, o repórter relata o exato momento em que os agentes da força de segurança local desarmam o cinto de explosivos. Esse não foi o único caso de terrorismo registrado no domingo na cidade. Segundo o site Rudaw, outro terrorista teria detonado uma bomba horas antes, na região de Wasit, e deixou três pessoas feridas. Além disso, outro caso de atentado semelhante foi registrado na mesma região, mas não teria deixado feridos. 

O menino chorou ao ser apreendido pelos policiais e ter o explosivo do seu corpo desarmado.

Publicidade

Os atentados seriam uma forma de retaliação do Estado Islâmico contra a ação da força de segurança local, por estarem perdendo território na cidade.

Outro caso de ataque

Neste sábado (20), o Estado Islâmico assumiu o ataque de outro menino-bomba, também com idade entre 12 e 14 anos, em Gaziantep, na Turquia. A explosão que ocorreu um uma festa de casamento e culminou com a morte de 51 pessoas e dezenas de feridos, foi o ataque que mais matou pessoas no país neste ano.