Um estudo secreto do Ministério da Defesa do Reino Unido, que foi tornado público, afirma que é "indiscutível" que os OVNIs sejam reais, e que esses artefatos possuem a capacidade de "planar, aterrissar, decolar, acelerar a velocidades excepcionais e desaparecer".

O estudo do governo britânico, que foi batizado de Projeto Condign, procurou desassociar a ligação automática que o acrônimo OVNI tem com a palavra "extraterrestre", e o relatório elaborado para tratar da investigação rotulou os objetos pesquisados de "unidentified aerial phenomena" (UAP), ou fenômenos aéreos não identificados, em português.

Projeto Condign

O Projeto Condign foi a maior pesquisa sobre OVNIs elaborada pela equipe da Inteligência de Defesa do Reino Unido.

Publicidade
Publicidade

O estudo foi iniciado em 1996, e seus objetivos primários eram determinar se os UAPs representavam perigos à segurança nacional daquele país, e se qualquer tecnologia encontrada nesses objetos poderia passar por um processo de engenharia reversa, para ser usada com fins militares.

Apesar de atestar que os UAPs sejam reais, o relatório afirma que não existem evidências suficientes para sugerir que o fenômeno seja hostil ou extraterrestre. O estudo propôs ainda que a maioria dos UAPs, na verdade, pode ter duas explicações: ou são veículos criados pelo homem, mas que possuem características desconhecidas ou anormais, ou são fenômenos naturais raros e "mal compreendidos pelo observador".

Nick Pope, que investigou OVNIs para o Ministério da Defesa britânico na década de 1990, disse que o relatório revela que a posição oficial do departamento estava em desacordo com o seu real interesse no fenômeno.

Publicidade

Pope afirmou: "Eu acho que a coisa mais fascinante sobre o Projeto Condign é esta - por décadas, o Ministério da Defesa disse ao Parlamento, aos meios de comunicação e ao público que os OVNIs não eram de importância para a Defesa, e de interesse muito limitado. O Projeto Condign foi uma avaliação da inteligência altamente secreta do fenômeno OVNI, que recomendou um estudo mais aprofundado a ser feito dos aspectos do mistério que poderiam resultar em 'novas aplicações militares’, por isso é claro que o Parlamento foi enganado”. #Ufologia #Curiosidades #Europa