Mais um ataque ocorreu nesta sexta-feira (23): recentemente, o #Mundo tem vivido grandes turbulências como os constantes ataques, na maioria das vezes liderado por grupos terroristas. Desta vez, o palco de mais um ataque foi um shopping localizado a 105 km de Seattle, capital norte-americana. Foram vitimadas quatro mulheres que morreram na hora e um homem foi levado em estado grave para o hospital. Mas, nessa manhã, não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. 

O crime ocorreu à noite, numa loja de departamentos chamada Macy's. Segundo informações, é neste horário que o shopping se encontra com grande movimento. O atirador fugiu, de acordo com informações do FBI, por uma estrada interestadual que fica localizada nas imediações do shopping, e até a manhã deste sábado (24) não foi encontrado. 

O FBI afirmou que não há nenhum indício de que o atentado tenha ocorrido a mando de terroristas.

Publicidade
Publicidade

Imagens de câmeras de segurança do estabelecimento ajudam nas identificações do atirador e segundo informações da polícia o mesmo seria latino-americano e estava armado com um rifle de caça. 

O constante medo da população é evidenciada pelos vários ataques que o mundo vem sofrido nos últimos tempos, isso em decorrência de pessoas que matam em nome de Maomé, em nome de uma religião a fim de que o mundo veja a força que esse Deus possui e como seus fiéis são capazes de arrasar com aqueles que "ofendem" a religião deles. 

Constantemente há vídeos de pessoas sendo decapitadas, ataques a locais públicos, boates, relatos de homens-bombas que se dirigem a locais com grandes movimentações e vitimizam dezenas de pessoas, e isso ocorre porque o Islamismo acredita que serão salvos em um plano superior pelo profeta Maomé, e aqueles que cometem esses ataques em seu nome ganham certo crédito superior. 

Como exemplo do quanto esses ataques podem ser catastróficos podemos citar o atentado as torres gêmeas, sem dúvida uma das maiores tragédias enfrentadas pela fúria daqueles que acreditam que todos devem se converter ao Islamismo.