Na lista das doenças conhecidas e sem cura no mundo, existe o autismo. O autismo é um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social. Por esse motivo, as crianças costumam se trancar dentro de si mesmas, temendo tudo e a todos até se acostumarem com o desconhecido. Para a americana Leah Paske, ter um filho autista parecia bom em certas ocasiões. Segundo uma de suas últimas publicações no Facebook, o jovem Bo já está no ensino médio do Montford Middle School.

Leah diz que “ele não parece notar quando as pessoas o olham quando bate as mãos”, nem “que não é mais convidado para festas de aniversário”, e ainda afirma como “ele não parece se importar se almoça sozinho”.

Publicidade
Publicidade

Contudo, a mãe relata se sentir triste pelo menino, sabendo que apenas raras vezes almoçava com um colega no colégio. Felizmente, na última terça-feira (30), Bo não apenas almoçou acompanhado como ao lado de um ídolo para muitas pessoas. O jogador de futebol americano Travis Rudolph estava visitando a escola com outros atletas, da equipe Universidade do Estado da Flórida, quando viu Bo.

Travis pegou duas fatias de pizza e puxou conversa com o garoto, então uma amiga de Leah registrou a cena e enviou para ela. A princípio a mãe relata que não estava ciente de quem era o jogador, mas quando descobriu foi às lágrimas. “Não tenho certeza exatamente o que fez este homem extremamente gentil compartilhar uma mesa de almoço com meu filho, mas eu estou feliz em dizer que não será esquecido tão cedo”, disse em sua postagem na rede social, destacando ainda que ficou despreocupada por seu “menino doce” ter se sentado “frente a alguém que é um herói aos olhos de muitos”.

Publicidade

Respondendo a entrevistas de jornais, Travis explicou que perguntou ao jovem Bo se poderia sentar ao seu lado, com a única intenção de dizer “oi”. Após as apresentações, o diálogo fluiu facilmente. "Eu senti como se tivéssemos uma grande conversa. Ele tinha um belo sorriso no rosto e era uma pessoa muito quente”, contou. O jogador disse não ter conhecimento de que a foto foi tirada até a repercussão, mas declarou felicidade por ajudar outras pessoas a ficarem conscientes sobre o autismo. Bo relatou ter recebido mais atenção depois do caso, ficando entusiasmado por todos dizerem estar orgulhosos dele.

Leah agradeceu a Travis no Facebook, falou de sua felicidade e que ela e o filho serão seus eternos fãs. O treinador do time, Jimbo Fisher, também deu seu depoimento. Ele se mostrou muito envaidecido por seus jogadores darem atenção às experiências de reuniões com os estudantes locais em Tallahassee, capital da Flórida. Nas suas palavras: "Você pode afetar as pessoas de muitas maneiras. Faça o dia de alguém por ser você mesmo, e indo espalhar a palavra, e compreender o impacto que você tem como um modelo de atleta e papel para as pessoas na comunidade”. #Doença #Futebol Americano