Katrina Shangreaux e sua mãe Sonya Dubray estão sendo acusadas pela morte do pequeno Kylen, de apenas dois anos. O menino foi levado para o hospital, com várias marcas de espancamento e maus tratos. A autópsia confirmou que Kylen morreu mesmo pela porrada que apanhou e outras provas estão mostrando que poderiam ter sido a mãe e avó a terem batido no menino até a morte. A causa da raiva das duas mulheres teria estado um "acidente no troninho" do menino que estaria sendo desfraldado e em fase de aprendizagem para ir no potinho, fazer suas necessidades. 

A autópsia mostrou que o menino morreu por causa de golpes fortes na cabeça e no abdômen.

Publicidade
Publicidade

Mas, o menino tinha ainda vários outros hematomas e marcas de mordidas. A mãe, Katrina, de 28 anos está sendo acusada pelos crimes de homicídio de primeiro grau do próprio filho, abuso de criança, negligência e ainda espancamento contra o pequeno Kylen. A mãe de Katrina, Sonya, de 47 anos, está também envolvida nesse #Crime

A avó do menino foi cúmplice da filha, durante todo o ataque, e teria ainda prestado declarações falsas sobre o terrível incidente que acabou vitimando esse menino. Além de tudo o mais, essa avó teria ainda conhecimento sobre o comportamento negligente de sua filha com o seu neto, sem nunca ter feito nada que evitasse. A avó está ainda sendo acusada de ter "adulterado as provas", uma vez que teria tentado limpar "toda a cena do crime", com lixívia, e ainda a roupa do menino, para que ninguém soubesse o que tinha acontecido.

Publicidade

Tudo isso poderia ter sido feito, antes da ambulância chegar em casa. O menino acabou morrendo no caminho para o hospital, pouco depois.

O comportamento mais agressivo de Katrina teria sido despoletado por um pequeno acidente caseiro, do menino. O bebê estaria deixando as fraldas e estava se iniciando no processo de ir no troninho . De acordo com o procurador no Tribunal, alguma coisa teria corrido mal nesse dia, e a mãe se encheu de raiva e acabou espancando o menino. Uma das razões que levaram a essa conclusão foi por o menino ter o seu "escroto rasgado", como ficou comprovado pela autópsia.

  #Família #Justiça