Guerras são sempre muito tristes e recheadas de momentos capazes de fazer muitos de nós chorarmos. Nesta sexta-feira, 30, o jornal Extra do Rio de Janeiro contou uma dessas histórias. Um bombeiro que faz parte do grupo socorrista 'Capacetes Brancos', que funciona como uma espécie de 'Defesa Civil' na Síria, que está em guerra, foi o protagonista de um ato heroico. Depois de muito trabalho, ele conseguiu resgatar um bebê em meio aos escombros de mais um desabamento provocado por bombas. Ele não se fez de "durão" e começou a chorar ali mesmo pelo ato que tinha protagonizado. 

O caso virou destaque também no 'The Independent'.

Publicidade
Publicidade

Segundo o site do jornal internacional. Ao que se sabe, a menina tinha apenas trinta dias de vida e sua casa ainda estava em construção. O bebê chegou a ficar quatro horas embaixo da terra, mas ainda foi resgatada com vida. Não se sabe o nome, nem o estado de saúde dela após o ato heroico. A pequena foi tirada dos escombros ainda completamente suja de poeira. Em seguida, ela foi levada para uma ambulância. Segundo o 'The Independent', o bombeiro herói fez questão de ficar com a menina e dar amparo em seu colo. 

O vídeo que mostra o socorrista segurando a menina nos braços e chorando enquanto a abraça foi compartilhado no Twitter e emocionou internautas. Enquanto o homem aproveita um pouco do bebê e daquele momento emocionante, outros médicos correm para fazer curativos e limpá-la. As imagens, é claro, também emocionaram muitos internautas.

Publicidade

Abaixo selecionamos alguns dos comentários:

"Esse homem estava com Deus ao seu lado. Acho muito lindo saber que tem gente que trabalha apenas para salvar vidas", escreveu um", 

"Infelizmente essas cenas de guerra já não comovem mais ninguém, no máximo, conseguem um compartilhamento no Facebook.....", argumentou outro desprezando o poder da cena de salvamento. 

"Meu Deus, que lindo o que ele fez. Tomara que Deus retribua em dobro", disse outra. 

Veja abaixo o vídeo que mostra o momento do resgate que está emocionando todo o mundo:

#Saúde