A crise financeira não atinge países só como o Brasil. Pessoas no mundo inteiro tem dificuldades para comprar coisas, até aquelas mais necessárias. Algumas dão o velho "jeitinho". Caso a mesa estiver bambeando, nada melhor do que colocar um livro embaixo para equilibrar. Se o vidro da janela quebrou e não há dinheiro para trocá-lo, existe a possibilidade de se usar um papelão no lugar e por aí vai. No entanto, é bom tem cuidado no que você vai economizar. Um casal de estudante acabou ficando gravemente ferido depois que decidiu fazer sexo sem camisinha, mas mesmo assim seguro. Oi? Sim, eles não tinham os preservativos, mas quiseram improvisar uma forma de não pegarem doenças ou que a menina ficasse grávida. 

O caso foi divulgado nesta terça-feira, 13, aqui no Brasil por diversos portais de notícias, como o R7 e a RedeTV!.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a história original é do tabloide inglês Daily Mirror. De acordo com o site da Inglaterra, um casal de estudantes acabou ficando muito ferido depois de trocar a camisinha por uma sacola plástica na hora da relação íntima. Eles tentaram transar com um objeto semelhante a uma sacola de mercado, mas o resultado, é claro, não podia ser bom. Sem experiência e com muito tesão, os dois estudantes ficaram com medo de irem em uma farmácia ou pedirem os pais para comprarem camisinha para eles. O pior foi a vergonha que veio depois. 

Ambos foram parar em um hospital da China, onde tudo ocorreu, com graves escoriações nos genitais. Eles tinham até sangramento no pênis e na vagina. Chegando lá, foi aquele 'Deus nos Acuda' e os adolescentes foram obrigados a mostrarem suas "vergonhas" para os enfermeiros e médicos, que cuidaram de tudo com muito carinho. 

Segundo o R7, os estudantes atrapalhados foram medicados com antibióticos para ajudá-los a recuperar.

Publicidade

O pior de tudo é que o diretor do hospital da região, que atendeu os dois amantes, explicou que os sacos usados não ofereciam proteção contra doenças e poderiam até permitir a gravidez. Ou seja, não adiantou de nada usá-los.  #Crime #Investigação Criminal