Em julho, a modelo Dani Mathers, aos vinte e nove anos, acabou irritando todo o planeta. Tudo por conta de fotos publicadas nas redes sociais. Ela expôs uma mulher fora de forma que tomava banho em uma academia. A moça que é considerada uma das mais bonitas do planeta, chegou a ser eleita 'Coelhinha da Playboy' em 2015. No entanto, ela ficou famosa mesmo foi pelo ato impensado e preconceituoso com a pessoa que frequentava a academia. "Se eu não posso 'desver' isso, você também não pode", disse ela na legenda da imagem que ganhou milhões de críticas na internet. 

Após publicar a imagem, a jovem "bonitona" perdeu o emprego.

Publicidade
Publicidade

Ela trabalhava até então como apresentadora de um programa de rádio. No entanto, a vida de Dani pode piorar ainda mais. De acordo com informações do jornal 'O Globo', em matéria publicada nesta segunda-feira, 05, agora a jovem pode ter que pagar ainda mais caro por tudo o que fez. Depois de indiciada, ela pode pegar seis meses de detenção. O objetivo da modelo agora é conseguir o perdão da senhora que ela tanto humilhou. Segundo 'o Globo', os investigadores policiais de Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, conseguiram rastrear a vítima do "body shaming" - que é o ato de ser ridicularizado pela aparência do seu corpo - e a mulher não estaria tão disposta a perdoar a 'Coelhinha'. 

A senhora, segundo os agentes, tem 70 anos. Ela teria parado de frequentar a academia depois que foi  exposta ao ridículo.

Publicidade

A jovem agora pode ser presa por violar a privacidade da "vovó" e publicar isso na internet. A Coelhinha pode ainda ganhar uns quilos. Isso porque a rede de academia onde tudo aconteceu, a 'La Fitness', não quer que ela frequente nenhuma das filiais no país. 

"Postei acidentalmente. Foi totalmente errado e não tive intenção de fazer aquilo. Eu sei que body shaming é errado", disse ela na época, revelando que seu objetivo era apenas fazer uma brincadeira com a namorada. A modelo diz que apertou o botão errado e o caso acabou viralizando acidentalmente. #Crime #Investigação Criminal