Um bombardeio aéreo realizado pela Rússia nesta quinta-feira (29), em solo sírio, acabou resultando em imagens, que, ao mesmo tempo, são chocantes e comoventes. De acordo com o site britânico Daily Mail, o socorrista voluntário Abu Kifah foi às lágrimas ao resgatar uma menina recém-nascida dos escombros de um prédio localizado na cidade de Idlib.

Segundo as informações divulgadas, a garota, que nasceu há apenas 30 dias, foi encontrada viva após duas horas de árduas escavações. Ao ser retirada do edifício destruído, a menina estava coberta de poeira, e foi imediatamente levada para uma ambulância - momento em que Kifah abraçou o bebê e começou a chorar.

Publicidade
Publicidade

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos relatou que o ataque a Idlib resultou na morte pelo menos 11 civis, incluindo sete crianças.

Situação caótica

Os bombardeios realizados pela Rússia fazem parte de uma campanha militar em apoio ao presidente da Síria, Bashar al-Assad, e têm como alvo os combatentes rebeldes que são contra o atual governo do país. No entanto, em cerca de um ano de ofensiva russa, os ataques já resultaram na morte de mais de 3.800 civis sírios.

Segundo o Daily Mail, a situação chegou a tal ponto que a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) declarou que está havendo um "banho de sangue" no leste da cidade de Aleppo, e pediu para que Síria e Rússia parem os ataques.

Além do apelo ao cessar fogo, o MSF emitiu uma declaração citando números obtidos pela Diretora de Saúde da cidade síria, afirmando que, somente entre os dias 21 e 26 de setembro, os hospitais que ainda funcionam na parte de Aleppo controlada pelos rebeldes receberam 278 cadáveres, incluindo pelo menos 96 crianças.

Publicidade

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou que uma catástrofe humanitária está em curso na cidade de Aleppo. A entidade também ressaltou que a guerra em território sírio, que se encontra em seu quinto ano, já resultou na morte de mais de 300 mil pessoas.

Assista ao momento em que Abu Kifah resgata a menina recém-nascida dos escombros em Idlib:

#Europa #Guerra Civil