Neste domingo, 18, um crime arrepiante envolveu e até uniu dois países, a Espanha e o Brasil. Quatro corpos, do que seriam brasileiros, foram encontrados cortados em pedaços (esquartejados) na Espanha. Os cadáveres seriam de duas crianças. Ao que tudo indica, os corpos pertenceriam a mesma família. As crianças são um menino, de cinco anos, e uma menina, ainda bebê, de um aninho. A família brasileira tinha alugado o imóvel a 60 quilômetros da capital espanhola, Madrid, ficando em uma espécie de povoado da região, Guadalajara. Nessa semana, o Brasil já havia tido uma grande perda, a morte do ator Domingos Montagner. Fotos dele morto chegaram a ser divulgadas na internet. 

De acordo com a Veja, investigadores explicaram ao jornal local 'El Pais' que os corpos estariam próximos a passaportes e que ali haveria a identificação das vítimas.

Publicidade
Publicidade

Para ver a imagem do trabalho desses investigadores e perito, basta ir até à nossa galeria e abrir em tamanho amplo. Fontes da polícia também revelaram que os corpos já estavam em estado de decomposição, estando na residência há pelo menos mais de um mês. Oficialmente, no entanto, a Espanha ainda não confirma que os cadáveres são mesmo de brasileiros. Para isso, serão feitos exames de DNA para confirmar se os corpos são mesmo da família apontada nos passaportes. 

A Veja diz que entrou em contato com o Itamaraty, que até o momento ainda não havia sido acionado até o momento. À agência de notícias France-Presse, o prefeito da região onde tudo aconteceu, o povoado de Pioz, informou que os corpos seriam todos da mesma família. O prefeito, identificado como Ricardo Garcia Lópes, contou que os vizinhos não avistavam a família há mais de um mês.

Publicidade

Os investigadores falaram que não havia qualquer cena de tortuna, apenas que os corpos estavam cortados aos pedaços. Ainda não há um ou mais suspeitos que possam ter cometido o #Crime. A suspeita da morte dos brasileiros já era cogitada desde este sábado, 17. Até então se falava em pelo menos um morto e não quatro.  #Investigação Criminal