De acordo com informações do jornal The Sun, há suspeitas de que a modelo britânica Kimberley Miners, 27 anos, de Bradford, na Inglaterra, tenha sido aliciada por membros do Estado Islâmico. Uma das hipóteses refere-se a recente mudança de comportamento em seu perfil no Facebook, onde a #modelo teria mudado seu nome de usuário para Aisha Lauren al Britaniya. Anteriormente, Kimberly, costumava publicar imagens suas seminua, mas de acordo com as últimas postagens ela aparece com o corpo todo coberto por uma burca.

Ela também teria postado imagens onde aparece segurando armamentos de grosso calibre, como fuzis e metralhadoras.

Publicidade
Publicidade

Agentes do MI5 estão monitorando de perto as atividades da modelo e afirmam que ela teria viajado para Turquia duas vezes. Ainda de acordo com informações, a em uma das viagens, jovem teria se encontrado com um dos recrutadores do Estado Islâmico. Após retornar de férias, ela teria sido abordada por agentes britânicos e foi intimada a prestar esclarecimentos. Em seu depoimento, disse que viajou a Turquia a fim de fazer turismo.

Pessoas próximas a Kimberley, acreditam que a transformação da modelo se deu após o falecimento do pai Anthony. Acredita-se de que ela não tenha superado a perda. De acordo com publicações no Facebook, a jovem afirma ter encontrado a paz na religião islâmica. Em entrevista para o The Sun na última sexta-feira (02), ela confirmou que esteve por duas vezes de férias na Turquia.

Publicidade

Mas na ocasião, negou todas as informações as quais afirmam que ela teria entrado em contato com terroristas islâmicos.

Agentes do MI5 afirmam ter provas que comprovam sua conversa com um membro do Estado Islâmico na Turquia. Apesar de pertencer a uma família cristã, Kimberley disse que seu interesse pelo islamismo cresceu muito nos últimos anos. Em uma de suas postagens no Facebook a modelo descreve a seguinte mensagem. ''Encontrei a paz no islã''. De acordo com as autoridades britânicas, os recrutadores do Estado Islâmico, especializaram-se em seduzir e recrutar jovens do ocidente para vir juntar-se a eles na Síria. No fim muitas destas mulheres acabam tornando-se escravas sexuais dos jihadistas. #Entretenimento #Curiosidades