Diane Rodríguez e Fernando Machado estão muito felizes pelo advento do nascimento do seu primeiro filho. O casal que nasceu e se conheceu no Equador acabou ficando conhecido em todo o mundo por conta de uma característica especial, ambos são transexuais. Um nasceu como mulher, mas se identifica como homem. A outra nasceu homem, mas seu gênero mesmo é o feminino. A novidade deu o que falar e chocou muita gente, enquanto outras estão dando a maior força. O neném, até agora, não teve nome escolhido. O bebê, segundo o casal, só terá a identidade revelada em momento oportuno.

Toda a gestação e os primeiros dias da criança, que nasceu no dia 20 de maio, está sendo compartilhado nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Com pouco mais de quatro meses de idade e saudável, a preocupação do casal trans, pais de primeira viagem, vai diminuindo.  Para muitos, Diane e Fernando são o símbolo de uma crescente tolerância sobre a diversidade sexual na região. Enquanto outros criticam tamanha exposição. Há quem fale em aberração, ms o casal retruca avisando que não há qualquer tipo de erro no amor. Além disso, pelo menos tecnicamente, até mesmo dentro do conservadorismo, não houve nada errado. É um casal de homem e mulher.

Para completar a história, o filho nasceu no modo natural. O casal não fez a operação de mudança de sexo. Por isso, a vontade de ter um filho foi facilitada. O pai preservava não só a vagina, como também trompas, útero e ovário. Coube à ele ficar grávido da mãe, que ainda possui o pênis. Isso nunca foi problema para nenhum dos dois, que sempre quiseram ter uma família.

Publicidade

O casal de conheceu no Facebook e decidiu se conhecer. Não demorou muito para eles engatarem um namoro e depois algo bem mais sério. "Depois de alguns dias batendo papo com ela, peguei um ônibus e fui para o Equador", disse Fernando. 

A história agora está sendo usada por entidades LGBTs para mostrar que é possível ter todos os tipos de família. No Brasil, casais homossexuais podem adotar, mas isso ainda não é a realidade de diversas regiões.  #Crime #Investigação Criminal