Um vídeo foi divulgado nesta segunda-feira dia 19 de setembro em Beirute, tendo sido gravado pelo grupo terrorista do #Estado Islâmico (El). A gravação mostra um suposto líder sírio, apoiado pelos Estados Unidos, sendo executado e em seguida sendo degolado.

O vídeo divulgado tem uma duração de seis minutos e quarenta e quatro segundos. No vídeo, é mostrado o líder sírio identificado como Ahmad Moussa Hussein, que aparece vestido com macacão laranja de prisioneiro. Ele fala seu nome e se identifica como líder da Brigada Al Hamza, que pertence ao Exército Livre Sírio (ELS), e recebe apoio direto dos Estados Unidos.

Em sua confissão, ele explica ser o responsável do seu grupo, pelas armas automáticas americanas que são fornecidas pelos Estados Unidos para que sejam usadas contra o Estado Islâmico.

Publicidade
Publicidade

Hussein afirma ainda que trabalhava operando no norte da província síria de Aleppo. O insurgente havia sido capturado na região de Kafr Gan, em Aleppo, por um grupo de jihadistas, e levado para seus esconderijos como prisioneiro.

Após sua suposta confissão, Ahmad Moussa Hussein foi amarrado em um poste em uma área aberta, e um radical extremista mascarado se posiciona para o fuzilamento. O extremista mira com uma automática e mata Hussein com vários tiros. O homem mascarado se aproxima do corpo do prisioneiro e conclui sua ação decapitando o líder sírio, apresentando sua cabeça como troféu.

Esse é mais um dos diversos vídeos de autoria do grupo EI, que chocam o mundo por tanta frieza e crueldade. É possível ver, em seus diversos vídeos divulgados na internet, as variadas formas brutais com que agem.

Publicidade

Em muitas gravações aparecem seus prisioneiros sendo torturados, mortos e degolados. Em alguns vídeos, aparecem matando homossexuais, sendo jogados vivos de prédios em praças públicas. Em outros aparecem matando cristãos, por não serem muçulmanos, sendo amarrados a explosivos, e em outros amarrados e queimados vivos. Em uma sequência de torturas que provoca uma angústia ao telespectador, é possível ver ainda, em outros vídeos, homens presos numa jaula, sendo submersos em uma piscina e morrerem afogados.

O que mais vem chocando ultimamente são as gravações de crianças sendo recrutadas pelo grupo islâmico; elas participam de forma íntegra nas torturas, execuções e até mesmo nos degolamentos de prisioneiros vivos. #Terrorismo #Crime