Em uma missa, na manhã deste domingo (04), o #Papa Francisco canonizou a Madre Teresa de Calcutá. A missa foi realizada, no Vaticano, na Praça São Pedro, e contou com a presença de mais de 100 mil religiosos. O papa declarou “beata a santa Teresa de Calcutá” o nome dela foi escrito no livro dos santos da #Igreja e a partir de hoje ela será venerada como tal.

Já faz 19 anos da morte de Madre Tereza. Apesar de ser canonizada somente agora ela já era chamada de “santa das sarjetas”. Ao longo de 2 mil anos de história ela foi a mulher mais conhecida da história da Igreja Católica. Era uma freira pragmática nos seus trabalhos com os pobres das favelas de Calcutá, na Índia.

Publicidade
Publicidade

Chegou a ganhar o Prêmio Nobel da Paz pelos seus feitos.

Na solenidade, o Papa Francisco salientou que o trabalho de madre Tereza era “em defesa da vida humana”. E que sua voz fez ouvida nos ouvidos dos poderosos culpados de crime contra os pobres.

O papa ainda disse que a Madre, em toda sua vida, lutou ao lado da humanidade dos oprimidos, sempre procurando socorreu os mais fracos. E elogiou, ainda, seu ativismo contra o aborto. Lembrado que, para Madre, o mais frágil era aquele que ainda não nasceu.

Por isso e por muito mais o papa explicou que ela deveria ser reconhecida como a “santa dos voluntários”. Um modelo de santidade a ser seguido.

Vida de caridade

Madre Teresa de Calcutá morreu aos 97 anos de idade, em 1997. No ano de 2003, o papa João Paulo II tinha beatificado a Madre – significa, para o católico, que uma pessoa se encontra no paraíso e pode receber preces e interceder por elas –, e é diferente de canonização, quando a pessoa entra para o catálogo dos santos e poderá ser venerada em missas.

Publicidade

A Madre foi muito reconhecida pelos seus trabalhos de caridade. É considerada como a missionária do século vinte. Ela criou as congregações chamadas de Missionárias de Caridades, onde cuidava de vários doentes, até mesmo em estado terminal.

Em 2008, um brasileiro, chamado Marcilio Haddad Andrino, teria sido curado pela Madre. Marcilio tinha uma doença rara no cérebro. Ele participou da cerimônia de canonização. Por unanimidade, a Igreja Católica aprovou em concílio o milagre de Teresa.  #Religião