Um beijo pode ser uma das melhores manifestações de carinho, mas pode ser também bem perigoso. Foi o que aconteceu com o pequeno Oliver Stinton, de apenas 14 meses, que acabou pegando uma doença crônica, depois de um beijo. O menino teria sido beijado por uma pessoa, que lhe passou #Herpes de tipo 1, ficando com o corpo coberto de bolhas, tendo mesmo que ir de emergência para o hospital, por duas vezes. Agora, a mãe do menino está avisando sobre o perigo que pode estar por trás de um simples beijo, por mais carinhoso que pareça ser. 

Oliver já tinha mostrado problemas de alergia, depois de ter contraído eczema, um problema atópico na pele, por causa de uma alergia ao leite.

Publicidade
Publicidade

Dessa vez, a mãe, que é enfermeira, levou o menino no hospital, por ele estar apresentando várias bolhas pelo corpo. No hospital, falaram que o menino tinha uma infeção e receitaram um creme esteróide para aplicar no corpo. 

No dia seguinte, o menino não só não melhorava, como tinha ainda mais bolhas. Nos pés, pernas, debaixo dos braços e ao redor da boca, a criança ia apresentando uma estranha alergia, que o estava desesperando. A mãe levou o pequeno Oliver novamente no hospital, onde o médico acabou admitindo que, se ela demorasse um pouco mais, o menino poderia até ter morrido, no pior dos casos. 

É que esse vírus da herpes pode parecer simples, mas não sendo tratado e incidindo sobre os #Bebês mais pequenos, pode acabar danificando os órgãos ou provocando sepsis, podendo até matar. 

Oliver está agora sendo tratado com antibiótico e está se recuperando bem, mas a mãe, Amy Stinton, que é enfermeira, sabe bem que esse menino vai ficar com essa doença para sempre.

Publicidade

A herpes pode causar feridas na boca, erupções cutâneas e febre e esse tipo de vírus 1 pode ser passado, ao contrário do que muita gente pensa, por pessoas que tenham somente aftas na boca. 

Muitas vezes, as pessoas associam a herpes para com uma doença que se transmite de forma sexual, mas a herpes de tipo 1 pode ser passada apenas por um beijo. E, de acordo com os estudos, perto de 60% da população tem esse vírus, podendo passá-lo facilmente, mesmo que não esteja com os sintomas, no momento do beijo.

Amy, depois de ver o que aconteceu com o seu bebê e depois do que as pessoas lhe disseram, está tentando alertar os outros pais, para que façam o que ela não fez. E que protejam seus filhos dos simples beijos carinhosos que todo o mundo gosta de dar nos bebês.  #Família