Na Rússia, uma mulher vendeu a sua filha de dez anos para um violador. Na troca, o homem deu para ela uma garrafa de vodka e dois euros, como pagamento, de acordo com a informação da polícia. O alerta foi dado por um desconhecido, que se apercebeu que alguma coisa estava se passando com a menina, pouco depois de ela ser abusada pelo homem. Entretanto, o violador já foi detido, ao contrário da mãe da criança, que permaneceu em liberdade. 

O suspeito detido tem 23 anos e o negócio teria sido intermediado pela própria mãe da criança. Alegadamente, a mulher é que apresentou a menina para o homem, que deu o álcool e a pequena quantia de dinheiro pela criança.

Publicidade
Publicidade

O caso apenas foi descoberto porque alguém notou que a menina estava assustada e maltratada, e denunciou para a polícia. 

Quando a polícia encontrou a criança, ela estava com sangue nas pernas e chorando com medo. Os policiais levaram a menina para o hospital, onde ficou confirmado o #Estupro que a criança sofreu nas mãos do homem que a tinha comprado, pouco antes. De acordo com as informações da polícia, a menina teria sido abusada sexualmente na presença da mãe, que a tinha vendido pela vodka, uma bebida alcoólica tipicamente russa, mas comercializada por todo o mundo. 

Depois de esse caso ser conhecido, a polícia deteve o homem que, estranhamente, se recusa assumir as culpas, dizendo que não cometeu #Crime nenhum. Para esse russo, ele comprou a menina e, como tal, poderia fazer o que bem entendesse com ela.

Publicidade

Incluindo maltratar ela, ao que parece. 

No entanto, a sua defesa não está correndo tão bem assim e o homem está detido, na cadeia, aguardando pelo desfecho da investigação. Quem também deverá ser chamada a declarar é a mãe da menina que, para já, se encontra em liberdade. A mulher ainda não foi detida pela polícia, no decorrer desse caso, mas deverá vir a ser chamada ainda. De acordo com o jornal Mirror, a mulher teria sido agredida por algumas pessoas vizinhas, depois de terem sabido que ela tinha vendido a menina para sexo. 

Enquanto a menina esteve no hospital, a mãe tentou visitar ela, mas a criança teria pedido para que não deixassem ela entrar, se mostrando muito assustada com a possível presença da mãe. Depois de sair do hospital, a menina foi colocada em um orfanato. Também um irmão seu, de doze anos, foi retirado da mãe, pelos serviços sociais. #Casos de polícia