Millie e Mollie são os nomes das bebês-milagres, que estão deixando surpreendida a comunidade médica. As gêmeas inglesas conseguiram sobreviver, apesar de tudo indicar que não pudessem conseguir. Um mês depois do seu nascimento e de uma gravidez de alto risco chegar no fim, as meninas superaram tudo e estão em casa, encantando toda a #Família. Os pais continuam embevecidos com as gêmeas e sabem que tiveram sorte. 

No meio do azar, a família Curtis teve sorte. E agora, sim, podem celebrar, uma vez que as bebês já estão em casa. Os pais Scott e Selena Curtis estão radiantes, por finalmente terem toda a família reunida. As pequenas Millie e Moliie vão se juntar aos irmãos Cyprus e Lillie. 

A gravidez de Selena Curtis, de 28 anos, foi de risco elevado.

Publicidade
Publicidade

Cedo na gestação, ficou diagnosticado que as bebês estavam se desenvolvendo no mesmo saco amniótico, e compartilhando a mesma placenta. Isso acontece em gravidezes de gêmeos, mas somente em uma a cada 60 mil gestações de gêmeos. Números bem baixos e probabilidades reduzidas. Aconteceu com Selena e os médicos abriram o jogo desde o início, dizendo logo que era "improvável" que os bebês resistissem, no mesmo saco amniótico. 

Apesar dos prognósticos serem péssimos, as bebês tiveram um excelente acompanhamento e as semanas foram passando e as meninas resistindo, dentro da barriga da mãe. Com o passar do tempo, Selena e Scott acreditavam um pouco mais, apesar de admitirem que não viveram uma gravidez feliz e que tiveram medo o tempo todo. No dia 10 de agosto, as meninas nasceram com pouco mais de um quilo e meio cada uma.

Publicidade

Foram registadas com os nomes Millie e Mollie, mas ficaram ainda mais de um mês nos cuidados intensivos. 

Tal como na barriga da mãe, as meninas provaram serem umas guerreiras e continuaram resistindo. Agora, já estão em casa, depois de desafiarem todas as probabilidades e a maior dificuldade, nesse momento, parece mesmo ser diferenciá-las. De tão parecidas que são, Selena diz que já colocaram uma pulseirinha para saberem quem é quem. Mas não será preciso por muito tempo, uma vez que a mãe já reparou que as personalidades são bem diferentes. "Millie é a mais mal-humorada e Mollie é mais tranquila", contou a mãe para o jornal Daily Mail. 

Depois do susto, a família Curtis acredita que "o futuro será brilhante" e só têm palavras de agradecimento para todo o trabalho dos médicos, apesar de não acreditarem que fosse possível, mas lutaram para que desse certo.  #Medicina #Saúde