Muitas histórias de crimes acabam sendo motivadas pela falta de recursos, o desespero por não ter um centavo sequer ou até mesmo pela região onde a pessoa criminosa cresceu, quando esta alega ter uma vida cercada de maus elementos. Mas será mesmo que a falta de dinheiro e o que existe ao redor é capaz de mudar o caráter de uma pessoa? A situação é discutível, mas para pelo menos para um homem todos tem a certeza que a resposta para essa pergunta é um sonoro "não". Woralop é uma morador de rua. Ele dormia embaixo de marquises na Tailândia, pois não conseguia um emprego. 

Certo dia, segundo informações do portal da RedeTV!, Woralop decidiu caminhar nas ruas e acabou se deparando com aquilo que poderia ser a salvação para os seus problemas.

Publicidade
Publicidade

Ele encontrou uma carteira com 20 mil baht (cerca de R$ 1.800). Mesmo quase sem dinheiro, o mendigo não ficou com o dinheiro. Muita gente não entendeu porque ele não foi comprar comida, roupas ou até pagar por um abrigo, mas o morador de rua foi irredutível. Ele disse que o mais correto seria ir até à polícia e foi isso o que ele acabou fazendo.  

Por sorte, ele encontrou policiais tão honestos como ele, que ajudaram a encontrar a quem pertencia a carteira. O dono era Niity Pongkriangyos, um empresário da região. Comovido e sem entender tamanha generosidade, o homem decidiu dar um emprego para o tailandês em sua fábrica. Ele agora receberá por mês pouco menos do que o valor que encontrou nas ruas, cerca de 11 mil baht (cerca de R$ 1.300). E não é só. O dono da fábrica decidiu pagar do próprio bolso um quartinho para que o morador de rua não precise voltar às ruas, pelo menos até que ele se reerga financeiramente. 

Além da quantia em dinheiro, a carteira do empresário tinha todos os seus documentos e diversos cartões, que ainda não tinham sido bloqueados, o que poderia dar um prejuízo enorme para o homem que mostrou ser uma boa pessoa.

Publicidade

O empresário disse que tomou a iniciativa justamente porque se tivesse na situação do morador de rua, não teria devolvido o dinheiro. No entanto, acredita que as coisas certas precisam ser recompensadas.  #É Manchete!