A jovem Jazmine Howarth, de 25 anos, causou polêmica em todo o mundo após dizer que era capaz de "controlar a morte". Ela tinha o objetivo de tentar "morrer pela metade", como mostra uma reportagem recente do programa 'Documento Verdade', da RedeTV!. A mulher se enforcou com o objetivo de ir para o mundo dos falecidos. Ela queria muito fazer uma despedida para uma amiga, que morreu recentemente. Jazmine não queria falecer de verdade, mas apenas ir para o mundo dos falecidos e depois poder voltar à vida normal, trabalhando, escrevendo e etc. O problema foi que não deu para morrer só pela metade. Foi por inteiro mesmo e ela não voltou mais para contar aos vivos como era o pós-vida. 

Aos 25 anos, com uma vida curta, a moça foi declarada na cidade de Bolson, na Inglaterra.

Publicidade
Publicidade

Mesmo com o caso acontecendo na cidade apenas em março, agora é que ele foi divulgado. A situação foi tão bizarra que ganhou até documentários. Não era para menos, né?  De acordo com as informações do site Metro, Jazmine queria marcar um encontro no além com a amiga Dionne Corbett, mas não teve êxito. As duas eram muito próximas. Dionne também tinha vinte e cinco anos quando respirou o ar da vida pela última vez. 

O caso estranho fez com que a Polícia inglesa começasse uma investigação séria. Os agentes então descobriram que além de ter feito o ritual macabro, a jovem estaria a passar por uma forte depressão. Ela já teria comentado com familiares e amigos que precisa  dar um "último adeus" para Dionne, mas o adeus acabou sendo para todos. Os próximos à falecida ficaram muito tristes e sem entender porque ela acabou tomando uma atitude tão irracional. 

"Elas se diziam irmãs, uma não ficava sem a outra", contou o homem que ia se casar com a mulher que acabou morrendo.

Publicidade

O rapaz foi identificado como Brendan Cawley. "Uma carta à mãe indicava que planejava fazer o que ela acreditava controlar", disse ele dando pistas sobre como ela indicava que iria tomar a atitude fatal. E você, acredita em vida após a morte? Comente.  #Crime #Investigação Criminal