Uma semana depois de relembrarem os 15 anos do fatídico #Atentado terrorista de 2001 contra as torres gêmeas, os Estados Unidos continuam sofrendo atos inesperados contra sua população e parece que não vão ter paz tão cedo com os terroristas, principalmente após mais um atentado, dessa vez na baixa da cidade de Nova York que ocorreu neste sábado (17). Uma #Bomba caseira, deixada na calçada da Rua 23 com a 6.ª Avenida de Manhattan, explodiu próximo das 20:30 (horário local de Nova York) e teria deixado ao menos 29 pessoas feridas.

O bairro de Chelsea é conhecido por suas lojas de roupas, bares, restaurantes, galerias e conta ainda com estação de metrô, o que faz dele um bairro com muito movimento de pessoas.

Publicidade
Publicidade

 

Policiais encontraram ainda na Rua 27, a algumas quadras do local da primeira explosão, um segundo explosivo, que seria uma panela de pressão com um celular preso por uma fita de fixação, que foi retirado do local pela policia.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou que a explosão foi um ato intencional, mas ainda não tem provas suficientes para afirmar que foi um ato terrorista. Testemunhas que estavam no local no momento do incidente disseram que foi um caos total, pois todos saíram correndo desesperados sem saber o que estava acontecendo.

O empresário e candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, se pronunciou sobre o atentado dizendo que: “É uma coisa terrível o que está acontecendo com nosso o mundo e com nosso país, mas nós estamos cada vez mais inteligentes e resistentes para dar um fim nisso”.

Publicidade

 

Já a candidata democrata Hillary Clinton preferiu somente dizer que: “É prudente esperar as informações oficiais antes de tirar qualquer conclusão a respeito do ato”.

Até o momento não houve nenhuma morte confirmada. As 29 pessoas foram prontamente atendidas pelo corpo de bombeiros e somente foram registradas pessoas feridas. O esquadrão anti-terrorismo e o FBI foram acionados para investigar o caso e devem trazer um parecer em breve.

Nenhum grupo terrorista assumiu responsabilidade pelo ato até o momento. #EUA