O gigante gasoso Júpiter, maior planeta do sistema solar, composto por oito mundos, atualmente observado de perto pela Agência Espacial Americana (NASA), por meio da sonda Juno, tem se mostrado cada vez mais incomum, segundo pesquisadores da agência.

Conforme o periódico europeu Daily Mirror, de segunda-feira (5), embora as análises efetuadas pela Juno estejam no início, o ‘fantasmagórico’ som emitido pelo planeta, captado pela sonda e revelado ao mundo nesta segunda-feira, desperta a curiosidade de cientistas e leigos.

A nave, cujo nome foi inspirado na deusa romana Juno – mulher de Júpiter na mitologia -, que desde 5 de julho se aproxima cada vez mais do gigante gasoso, tem revelado diversas particularidades daquele astro.

Publicidade
Publicidade

Depois das recentes declarações feitas pelos cientistas no início de setembro, sobre o fato de o polo Norte de Júpiter ser totalmente diferente do que eles haviam imaginado, com a presença de uma coloração densamente azulada, a gravação de ruídos semelhantes a ‘gritos desesperados’, registrada nos polos Norte e Sul do planeta, será estudada pelos cientistas.

Apesar dos estudiosos já terem ouvido os misteriosos sons antes mesmo da chegada da nave, eles enfatizam que com a aproximação da sonda, poderão analisar os ruídos de ‘perto’.  

Para o cientista Bill Kurth, envolvido na pesquisa, os ruídos emitidos pelo gigante gasoso são os mais fortes já percebidos no sistema solar.

Segundo Kurth, os acadêmicos envolvidos no projeto tentarão identificar de onde vem os elétrons responsáveis pela produção do inusitado ‘barulho’.

Publicidade

Scott Bolton, principal investigador da missão Juno, revela que Júpiter é um planeta com características diferente de todos os outros astros do sistema solar.

De acordo com Bolton, as primeiras imagens do polo Norte evidenciaram particularidades que nunca haviam sido imaginadas por eles. “Não há nada em Júpiter que se assemelha a qualquer lugar perto disso. O maior planeta do nosso sistema solar é verdadeiramente único", declara.

Antes da sonda encerrar a missão num mergulho suicida ao planeta Júpiter, serão realizados mais 35 voos no intuito de analisar o gigante de forma mais detalhada.

Ouça abaixo ao ‘apocalíptico’ som produzido pelo maior planeta do sistema solar. Ao que tudo indica, Júpiter ainda tem muito a nos mostrar.

#Mídia #Curiosidades #Internet