Madre Teresa de Calcutá foi declarada santa pelo Papa Francisco e canonizada na manhã deste domingo (4), porém, muitas pessoas não concordam nem comemoram o fato. A freira católica ganhou fama por ajudar os pobres na Índia, ela ficou conhecida como a "Santa das Sarjetas", mas agora muitos a acusam de promover a pobreza. A cerimônia de canonização aconteceu na Praça de São Pedro, Vaticano, onde milhares de fiéis assistiram o ato de fé e religiosidade. O Papa fez questão de dizer que a madre enxergou nos pobres a dignidade que Deus dá a todos e ao ajoelhar-se diante deles está exercendo a caridade para com quem foi deixado para trás, pela vida.

Publicidade
Publicidade

Apesar dos milagres já comprovados pela igreja, muitos críticos ainda questionam esses fenômenos, afirmando que a canonização da freira se mostra como símbolo de "triunfo da fé religiosa sobre a razão e a ciência". A madre também ganhou reconhecimento por construir hospitais, casas de repouso, colônias de leprosos e orfanatos. Recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1979, e os fiéis a chamavam de a "Santa das Sarjetas" em reconhecimento ao seu trabalho nas regiões extremamente pobres de Calcutá. Ela morreu em 1997, aos 87 anos.

Madre Teresa fundou a Congregação Missionárias da Caridade, que hoje reúne mais de 3 mil religiosas por todo mundo. Se, por um lado, os fiéis se multiplicam, por outro, existem os que tentam difamar a religiosa, tentando provar que seu trabalho não a faz santa.

Publicidade

Um deles foi o conhecido autor britânico Christopher Hitchens (falecido), que a descreveu como uma freira fundamentalista, agindo a favor da política. Acusando-a ainda de fazer pregações primitivas, além de cúmplice dos poderes seculares e mundanos.

Questionando milagres

Hemley Gonçalez, nascido em Cuba, foi voluntário em uma das casas de repouso da madre, em Calcutá. Ele ficou por dois meses, em 2008. O cubano confessou que a forma 'negligente' como a casa de caridade funciona é bem diferente do que o público imagina. Outro que também questionou os 'milagres' que deram a canonização à freira, foi o racionalista indiano Sanal Edamaruku, segundo ele, o Vaticano considera santa a pessoa a quem são atribuídos milagres, através de orações feitas em seu nome, após sua morte.

O físico Aroup Chatterjee disse que os 'milagres' são muito baratos e infantis, nem dá para questionar, afirmou. Contudo outros contestam dizendo que: "A batalha do cristianismo com a ciência tem um longo histórico". #Religião #Papa Francisco