A guerra na #síria já chega ao seu quinto ano com um saldo de milhares de mortes de inocentes. Dentre as vítimas, muitas #crianças. Após um bombardeio que matou 12 pessoas, sendo cinco delas, crianças, dois meninos receberam a notícia da morte do irmão e não seguraram as lágrimas de desespero, dor e medo.

O vídeo foi divulgado, originariamente, em uma rede social do Aleppo Media Center (AMC), sendo propagada por todo o mundo e usada como símbolo do desespero dos inocentes que vivem no fogo cruzado de uma guerra sem fim.

As crianças, que não tiveram os nomes divulgados, são só algumas das pessoas que choram diariamente a perda de entes queridos na Síria.

Publicidade
Publicidade

Com a guerra, muitas fronteiras estão fechadas e os cidadãos já sentem a dificuldade para conseguir produtos básicos, como alimentos e itens de higiene pessoal. Muitas casas também vivem com a falta de água e energia elétrica, devido aos constantes bombardeios.

Abaixo segue o vídeo dos meninos sírios se abraçando após receberem a triste notícia:

 

Uma guerra sem fim e a crise humanitária

Rebeldes como o Estado Islâmico e grupos inferiores, mas que seguem o mesmo ideal do islã radical, continuam intentando contra Bashar al-Assad, a fim de derrubar o seu governo e dominar o território. Já faz algum tempo que o Daesh dominou parte do território sírio, mas as intervenções internacionais aumentaram e eles têm se espalhado para outras regiões, bem como para o Iraque, onde instituíram o Estado Islâmico em quase metade do território iraquiano.

Publicidade

A cidade de Aleppo está dividida entre o território governado por Bashar e a parte que ainda é de domínio dos radicais islâmicos. Por conta disso, é comum conflitos entre forças do governo e dos rebeldes, que querem o território por completo. Nas últimas semanas, os conflitos e ataques contra civis se intensificaram.

A Comissão das Nações Unidas estima que se essa guerra não for contida, em breve, mais de cem mil crianças serão mortas. O número assusta a comunidade internacional e contribui para a crise humanitária, não só local, mas também mundial, uma vez que muitas famílias tentam fugir do território para sobreviverem em outra cidade ou país. A guerra criada pelos terroristas que visam tornar o mundo um califado do islã radical, é a principal responsável pela crise migratória, que já espalhou milhões de refugiados pelo mundo. #guerra na síria