O caso está chocando o #México. Um homem foi condenado a cem anos de prisão, depois de ter provocado a morte de sua enteada, uma bebê de três anos apenas. Foi graças às câmeras de vídeo que estavam instaladas no hotel, que o caso se tornou público. As imagens do vídeo são chocantes, uma vez que o padrasto, identificado como Jose David N., atira a menina repetidamente para dentro da piscina, provocando seu afogamento. Igualmente chocante foi a reação das pessoas, que não fizeram nada para evitar tamanha tragédia. 

Alegadamente, a mãe da bebê estaria dormindo no quarto desse hotel, em Morelia, no México, onde a família estaria passando uns dias.

Publicidade
Publicidade

A mulher é enfermeira e não se teria apercebido de nada. Aliás, em juízo a mãe declarou que depois de ter dormido, teria passado pela piscina com o marido, enquanto pensava que a filha estava assistindo TV. Só quando regressou no quarto é que teria percebido que sua bebê não estava respondendo. 

Nesse momento, não estava desconfiando do companheiro, e correram com a bebê para o hospital, onde ela morreu pouco depois, não resistindo às lesões provocadas pela atitude bárbara de seu padrasto. 

Vídeo mostra padrasto afogando a menina

As imagens não podem deixar ninguém ficar indiferente. Em um primeiro momento, o homem chega na piscina com a bebê no colo e entra na água, onde estão duas outras pessoas. De imediato, o padrasto começa empurrando a cabeça da criança para baixo, ficando coberta de água.  As duas pessoas presentes não só não fizeram nada para impedi-lo, como saíram da água pouco depois, permitindo que ele continuasse.

Publicidade

Será que não viram nada?

O homem continuou mergulhando a cabeça da bebê, que se mostrava completamente desesperada. Pouco depois, já fora da água, o homem atira a menina para dentro da piscina. Sem conseguir nadar e, cada vez com menos forças, ela vai se afogando. Em um momento, o padrasto provou toda sua crueldade jogando uma boia salva-vidas para perto da menina, que não tinha forças nem discernimento para se agarrar. 

Por causa do vídeo, juiz ordenou sentença exemplar

No Tribunal, Jose David N. declarou que sabia que sua enteada não conseguia nadar, mas falou que desconhecia que ela tinha se afogado. No entanto, as imagens não deixam dúvidas e o juiz o condenou à prisão, sem possibilidade de recurso, sequer. Os promotores pediam uma pena acima dos 40 anos para esse homem, e o juiz ordenou uma sentença de cem anos na cadeia, depois de rever o vídeo do afogamento, condenando-o por homicídio

A defesa ainda tentou sugerir que a menina morreu fora da água, e não dentro, mas a força dessas imagens foi suficiente para provar a culpa desse homem, de acordo com o juiz desse caso chocante. 

Assista ao vídeo:

(Contém imagens chocantes, que podem causar desconforto entre os mais sensíveis). 

#Justiça #Crime