Um adolescente gaúcho de 15 anos, Roger Thomé Trindade, que era natural de Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos, Rio Grande do Sul, morreu após ser espancado por um grupo de jovens, no Park Avenue, na cidade de Winter Park, próximo a Orlando, nos Estados Unidos.

O #Crime aconteceu na noite do último sábado à noite, o garoto chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos, vindo a óbito no hospital no dia seguinte.

Segundo o site de notícias Gazeta, a irmã de Roger, Laura Thomé, informou que o irmão estava com um amigo na área do Central Park, era por volta das 22h do sábado, quando um jovem passou e borrifou um spray no rosto de Roger.

Publicidade
Publicidade

O amigo do adolescente que estava com ele, contou à família de Roger, que os dois conversavam num banco, e quando o adolescente recebeu a borrifada não gostou, e foi atrás do rapaz para perguntar o porquê ele teria feito aquilo.

O amigo do garoto disse que foi tudo muito rápido, que quando Roger se aproximou do jovem, apareceu um grupo com muitos jovens e espancaram o adolescente gaúcho, quando ele viu foi o amigo já estava estirado ao chão, inconsciente.

Roger foi socorrido imediatamente e encaminhado ao hospital, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos, vindo a óbito na noite do último domingo, 16 de outubro. A família do garoto morava em Orlando desde janeiro desse ano, somente a irmã Laura, que ainda mora no Brasil. Eles estão inconformados com a morte do adolescente, pois afirmaram que era um garoto muito tranquilo e carinhoso.

Publicidade

Laura fez uma homenagem ao seu irmão no Facebook, no post ela relata que ainda não conseguia entender, o porquê de essas coisas acontecerem com gente do bem, relata que o irmão tinha muitos sonhos e uma vida toda pela frente. Conta ser privilegiada em poder tê-lo como irmão, um garoto estudioso, educado, carinhoso, um exemplo de ser humano. Segundo ela, um menino cativante, conquistava a todos. Ela afirma que a família está sem chão, muito triste com a morte prematura do jovem.

De acordo com Laura, um tio estaria indo para os Estados Unidos para acompanhar todos os trâmites legais sobre o caso.

O Ministério de Relações Exteriores relatou que o Consulado do Brasil em Miami, está acompanhado o caso junto às autoridades locais que investigam o caso. Informou também que o Consulado está prestando toda ajudar consular a família do menor. O Itamaraty por questões de privacidade não dá maiores informações da ajuda consular prestada a brasileiros no exterior.

As autoridades locais continuam investigando o caso para identificar e localizar os agressores. #Casos de polícia