Nesta semana, um vídeo está provocando muita polêmica nas redes sociais. De acordo com uma matéria publicada neste domingo, 09, pelo site da RedeTV!, as imagens polêmicas teriam sido registradas na cidade de Neyungri, na Rússia. A publicação começa com um professor dando mais um dia de aula. No entanto, um dos alunos parece nada interessado no conteúdo. Ele menospreza completamente o ensinamento do seu mestre. O professor pede em russo mais respeito, mas o garoto fica sentado em sua carteira, mexendo em algo que parece um celular. Ele está com fones de ouvido, mostrando gostar bastante da música que toca. 

O professor faz vários gestos, mas continua sendo ignorado.

Publicidade
Publicidade

Ele então chega mais perto e todos os alunos olham quietos o que acontece em seguida. O docente se revolta e arranca os fones de ouvido do menino, que não gosta nada de ter sua música interrompida. O profissional da educação, no entanto, acaba ficando com um estudante em fúria à sua frente. Ele parece completamente descontrolado e desposto a bater no homem que estava querendo dar ordens nele. O homem, de modo assustado, apenas tem tempo de de defender. Os cabelos brancos chegam a se mexer enquanto os primeiros tapas do adolescente são dados. 

O que o menino talvez não imaginasse é que algo muito grave aconteceria com ele. os demais estudantes não se solidarizaram com o colega. Muito pelo contrário. Eles decidiram agir e impedir que o garoto - que parece não ter aprendido o respeito em casa - batesse mais uma vez no seu professor. Rapidamente, segundo o portal de notícias da RedeTV!, os colegas de classe separam os dois e expulsam o aluno da sala.

Publicidade

"Ele [agressor] precisa saber que sairá daqui [sala de aula] imediatamente", diz um dos garotos parecendo muito revoltado com tudo o que vê. 

De acordo com o portal da RedeTV!, não há informações do que teria acontecido com o garoto e com o professor. Um site local diz que a escola onde tudo aconteceu preferiu não comentar o caso, preservando a imagem da instituição. #Crise #Investigação Criminal