Em setembro passado, a descoberta de um #Crime bárbaro chocou uma pequena comunidade na Espanha: um #assassinato quádruplo, todos membros da mesma família, pai, mãe, ambos de 39 anos, e dois filhos, de 4 e 1 anos. O crime aconteceu em um chalé no município de Pioz, na Espanha, mais precisamente na província de Guadalajara. O que chocou muito foi que o assassino esquartejou os corpos, os colocou em sacos de lixo e os deixou na sala da residência. Os corpos só foram descobertos porque um vizinho alertou a polícia pelo mau-cheiro que vinha da casa. A família era de brasileiros e segundo os vizinhos relataram à polícia, eles eram bem reservados.

Publicidade
Publicidade

Na época a polícia começaria a investigar o caso, e agora já tem um suspeito - e ele está solto, no Brasil.

Sobrinho é suspeito de esquartejamento de família na Espanha

Os detalhes do crime começam a se tornar conhecidos para a polícia espanhola, nesse que passará para a história policial do local como O Crime de Guadalajara. Um quinto membro da família é apontado como culpado: o sobrinho do casal.

Patrick Nogueira Gouveira é o nome do suspeito. Há provas de que ele pode ter sido o culpado do assassinato da família: uma gota de suor encontrada no chão da casa direcionou ao seu DNA. Além disso, os especialistas encontraram uma impressão digital sob a fita isolante usada para amarrar os seis sacos de lixo nos quais colocou os corpos degolados e esquartejados - essa impressão digital bate com a mesma encontrada em um cabo de uma frigideira, na casa, ambas de Patrick.

Publicidade

E tem mais, as mensagens de seu celular o colocam no local do crime, no dia 17 de agosto.

Foram investigados todos os passos do rapaz - o seu passe mostra que ele pegou um ônibus para Guadalajara no dia do assassinato e voltou na manhã seguinte. Há também as gravações das câmeras, que captaram imagens dele, no caminho até Pioz. Seu tio, marcos Campos Nogueira, foi visto por colegas de trabalho pela última vez no dia 15 de agosto. 

Marcos, tio do rapaz, e sua esposa, Janaina, já haviam comentado com outros familiares sobre os problemas de convivência com Patrick, e que, segundo eles, estavam se tornando cada vez mais comuns.

Waufran, irmão de Marcos, está em Madri há algumas semanas, acompanhando as investigações sobre o ocorrido e juntando dinheiro para conseguir trazer os corpos dos familiares para o Brasil. Ele não consegue acreditar que o sobrinho tenha sido capaz de cometer um crime dessa natureza, crime que, a princípio, havia sido atribuído a "matadores de aluguel profissionais".

Publicidade

Os investigadores espanhóis afirmam não haver dúvidas de que Patrick é o autor dos crimes, apenas não se entende o motivo.

Patrick está no Brasil

O tio do rapaz disse que a família não estranhou quando Patrick voltou, pois pensaram que ele pudesse ser o próximo a ser assassinado. Waufran diz que assim que voltar ao Brasil, não vai descansar até colocar o "monstro" que fez isso, na prisão.

Patrick voltou ao Brasil em 22 de setembro, dois dias depois dos corpos serem descobertos, sendo que seu bilhete estava marcado para 19 de novembro. A família do rapaz já contratou um advogado. O rapaz, de 20 anos, já esteve internado em um centro de detenção para jovens, por ter esfaqueado um professor, aos 16 anos. Informações dão conta de que atualmente ele está em uma das casas da família, em João Pessoa. #Investigação Criminal