A guerra na #síria está longe de chegar ao fim. Apesar das tentativas de acordos de cessar-fogo entre a coalizão americana e russa, não existe acordo para jihadistas e demais rebeldes que buscam impor seu poder e ideologia através da morte de inocentes.

Após diversas imagens de crianças ensanguentadas em bombardeios, o mundo volta a se chocar com as tristes cenas de uma garotinha com o rosto ensanguentado e muito ferida, que chora e clama por seu pai.

O nome da criança é Ayah e ela só tem oito anos de idade. A vila de Talbiseh, onde ela morava com a família, no norte da cidade de Homs, foi alvo de um ataque aéreo. Muito ferida, a menina se desespera chamando por seu pai.

Publicidade
Publicidade

Mesmo depois de ser atendida pelos médicos, que limparam o sangue de seu rosto, cabeça e braços, a criança continuava desesperada.

A emissora de TV local, Talbiseh News, contou que a criança conseguiu se reencontrar com seu pai em um hospital e que ambos estavam bem. Assista as imagens do desespero da menina:

 

Ayah surge poucas semanas após o mundo se chocar com as imagens de Omran, um garotinho de apenas três anos de idade que foi filmado coberto de pó, ferido e em estado de choque após ser resgatado dos escombros de um ataque. Esse menino, perdeu o irmão mais velho no ataque. Na mesma semana, dois irmãos ganharam repercussão no mundo. Um deles está coberto de pó sentado em uma maca. Os dois recebem a notícia que seu outro irmão não sobreviveu ao ataque e juntos, se abraçaram e choraram, compulsivamente, por terem perdido um ente querido para a guerra de ambições na Síria.

Publicidade

Reveja o caso:

 

Assim é a realidade do povo sírio. Quando não estão fugindo para outros países, estão vivendo dias incertos, podendo ser atacados a qualquer momento. Os que vivem em áreas dominadas por rebeldes ou pelos próprios jihadistas do Daesh, chegam a ficar sitiados, sem comida, energia elétrica e água e comumente a ajuda humanitária é impedida de ajudá-los, isso quando não são vítimas de atentados. Aos que vivem na parte do país que ainda é de domínio do governo sírio, Bashar al-Assad, fica o temor de ser alvo de um ataque aéreo de quem ainda sonha em derrubar o atual governo e tomar a cidade a força, a fim de determinar um califado em todo o país. #Menina síria #Guerra Civil