De acordo com especialistas, muitos consideram Plutão como um planeta frio e sem campo magnético, que atualmente está localizado há mais de 5,9 bilhões de quilômetros longe do Sol. No entanto, de acordo com as últimas observações em relação ao planeta, os astrônomos acreditam que o astro esteja emitindo uma espécie de raio X.

Acredita-se que estas luzes estejam interligadas a uma grande radiação, onde as altas energias estão associadas aos gases presentes na atmosfera de Plutão, aliados as altas temperaturas.

Há 30 anos, uma equipe supervisionada por Carey Lisse, astrofísico do Centro de Física Aplicada, na Universidade John Hopkinks (Estados Unidos), afirmou ter detectado as primeiras evidências de raio X presentes em um cometa.

Publicidade
Publicidade

Desde então, descobriu-se que alguns gases presentes nos corpos celestes, em parceria com ventos solares, seriam os principais responsáveis pela produção do fenômeno.

Entretanto, com o trabalho da sonda News Horizons, que chegou próximo a Plutão, astrônomos puderam detectar evidências das luzes presentes na atmosfera do planeta anão. De acordo com os pesquisadores, entre os anos de 2014 e 2015, o astrônomo Scott Wolk, do Centro de Astrofísica em Harvard, em parceria com seus colegas, teria apontado o telescópio Chandra X Ray em direção a Plutão. Na ocasião, os pesquisadores detectaram em torno de sete fótons diferenciados de raio X.

A descoberta acabou gerando polêmica, uma vez que as observações do Chandra detectaram que os brilhos das luzes são muito mais elevadas em relação a combinação do vento solar com sua atmosfera.

Publicidade

De acordo com astrônomos, a descoberta é surpreendente, e muitos acreditam que a atmosfera de Plutão seja mais estável, diferente da atmosfera de um cometa.

Uma das evidências mais aceitas, é a de que algumas partículas compostas de vento solar colidem contra os inúmeros destroços que escapam para atmosfera de Plutão, que é composta por três elementos básicos, que são responsáveis por produzir um alargamento dos raios X. Caso essa hipótese seja confirmada, significa dizer que a atmosfera do planeta anão esteja fervendo no espaço.

Wolk, em parceria com demais astrônomos, estaria se revezando em observações constantes para avaliar se consegue encontrar mais vislumbres com mais fótons de raio X. Antes da pesquisa, o planeta Saturno era o único astro presente em nosso sistema solar a emitir uma série de raios X. #planeta Plutão #Entretenimento #Curiosidades