Um bebê nasceu com uma doença rara chamada anoftalmia, e por causa dessa grave doença, a criança jamais poderá ver o rosto da própria mãe. Acontece com um em cada cem mil bebês que nascem. E aconteceu com Elijah Davies, de Merseyside, na Inglaterra, o menino que nasceu sem olhos. Agora, o menino tem já 14 meses e os pais estão fazendo um peditório para que consigam colocar sensores no quarto do menino para que ele conquiste alguma independência, apesar de sua condição grave. 

No futuro, o menino terá que realizar várias cirurgias nos olhos para que possa colocar uns olhos de prótese. No entanto, para que isso possa acontecer, o menino terá a frente do seu crânio reconstruída.

Publicidade
Publicidade

Para que isso aconteça, é necessário que Elijah seja maior. Os médicos estão prevendo que o menino vá precisar de umas seis cirurgias para crias as órbitas para suas novas próteses nos olhos. 

Os pais notaram que algo estranho estava se passando quando, depois do nascimento, Elijah não abria os olhos nunca. Mais tarde, ficaram sabendo que o seu bebê padecia de anoftalmia, uma doença que não afeta mais do que uma mão cheia de #Bebês no Reino Unido a cada ano. Afinal, se o menino não abria os olhos, era porque ele não os tinha. Mais tarde, já com três meses, Elijah teve que fazer uma cirurgia para o coração, mas está longe de ter todos os seus problemas de #Saúde resolvidos. 

Agora, os pais estão fazendo um peditório tentando reunir algum dinheiro para melhorar a qualidade de vida do menino, que, apesar de tantas dificuldades, não perde seu sorriso. "Ele é absolutamente incrível.

Publicidade

Ele está tão feliz apesar de tudo e ri das coisas mais aleatórias. Ele é tão brincalhão", revelou a mãe, Zoe Hickson, de 23 anos. 

Por isso mesmo, e por todas as necessidades especiais da criança, que os pais não estão podendo pagar. Zoe e o marido gostariam que Elijah pudesse brincar em um local mais seguro, junto com o irmão Lucas. Os pais gostariam de conseguir angariar umas quatro mil libras para comprarem alguns equipamentos, brinquedos especiais e colocarem paredes acústicas no quarto do menino, porque ele não reage bem aos ruídos. Elijah odeia mesmo estar em locais mais barulhentos.  #Família