Bronwyn Taylor tinha apenas 16 meses quando foi encontrada morta pela sua avó. A menina se junta a uma lista de crianças que morrem, vítimas de uma corda de janela cega. A bebê morreu estrangulada, quando estava na casa dos avós. No Tribunal, esteve decorrendo um inquérito e o procurador pediu para que os pais prestem muita atenção com essas cordas, e que coloquem segurança em primeiro lugar, para que essas tragédias não voltem a acontecer.

Uma #Família devastada, depois desse terrível incidente. Os pais de Bronwyn tinham saído, com duas crianças, para ir no cinema, deixando a menor junto com os avós, que estavam tomando conta dela.

Publicidade
Publicidade

O avô foi se deitar para dormir um pouco, enquanto que a avó teria deixado a menina sozinha por alguns minutos, enquanto colocava alguma louça para lavar. A menina estava na sala, brincando, e acabou se prendendo em uma corda de janela cega. Depois, teria tropeçado, acabando por se estrangular. 

O resultado da autópsia foi claro e demonstrou que a morte da bebê foi por estrangulamento. Depois de "poucos minutos", avó, que até era enfermeira, foi na sala ver a menina e encontrou a criança já desmaiada. Ainda tentou de tudo para fazer a reanimação, mas era já tarde demais. Bronwyn foi ainda levada para o hospital, onde sua morte seria declarada, mais tarde. 

As cordas de janela cega são consideradas perigosas, sobretudo para as crianças, que acabam se prendendo nelas, pelo pescoço, ficando sem capacidade para pedir ajuda ou para se soltarem sozinhas.

Publicidade

Atualmente, essas cordas não estão mais sendo colocadas, mas são ainda muitas as casas que as têm, especialmente mais antigas.

No Tribunal, a morte da menina foi considerada "acidental" e, naturalmente, nem os pais, nem os avós serão implicados nesse caso. No entanto, o médico legista David James "implorou" para que os pais coloquem "cordas seguras". E mesmo nos casos em que as pessoas sintam dúvida se as cordas são ou não seguras, devem modificá-las. Afinal de contas, a vida de de uma criança vale mais do que qualquer risco. 

O pai da menina, Mathew, contou que os seus pais estão se sentindo muito culpados, mas que nem ele nem a esposa os podem culpar, uma vez que tudo isso foi um "#Acidente". Mathew revelou que toda sua família "está devastada" e que pais não "deveriam ter de enterrar um filho".  #Bebês