Embora seja impossível uma pessoa voltar a viver depois de estar morta há décadas, o bizarro caso do experiente mestre budista conhecido como lama Itiligov, na República da Buryatia, na Sibéria (Rússia), morto em 1927, cujo o corpo foi achado na posição de Lótus em perfeito estado de preservação, tem intrigado os russos.

De acordo com informações do jornal Siberian Times, de 11 de outubro, alguns budistas alegam que o lama permanece vivo num estado mental chamado nirvana. Agora, o depoimento do atual chefe budista da região, lama Damba Ayusheev, tem ‘apimentado’ ainda mais essa bizarra teoria.

Segundo ele, duas imagens captadas pelas câmeras de monitoramento mostram que o monge falecido voltou à vida.

Publicidade
Publicidade

Ele declara que o religioso foi filmado em diferentes posições no interior do templo budista Datsan, situado a 23 quilômetros da capital regional Ulan-Ude.

Conforme Ayusheev, a primeira foto expõe uma hipotética figura granulada (monge morto) em primeiro plano, no centro de um tapete. Na segunda cena, registrada um dia depois, o aparente ‘monge imortal’ parece estar sentado num sofá próximo ao tapete em que ele havia aparecido. Todavia, vale ressaltar que as imagens são de péssima qualidade e o vídeo não foi liberado ao público.

Contudo, o líder dos budistas garante que o emblemático monge está vivo. Inclusive, ele rejeitou alegações de que as imagens captadas evidenciam um segurança do templo com duas sacolas plásticas na mão – o que seria mais plausível do que uma pessoa morta há décadas estar andando pelo ambiente.

Publicidade

“Isso não é uma piada, isso é sério, e eu sei precisamente que não poderia haver ninguém no Palácio de Khambo Lama Itigilov neste momento”, disse o lama Ayusheev.

Outro monge, porta-voz do budismo tradicional na Rússia, Tubden Baldanov, concorda com as afirmações proferidas pelo líder budista. Para ele, existe uma mensagem velada no fato do lama morto ter voltado à vida.  “Talvez seja algum tipo de sinal. Talvez ele diz alguma coisa. Talvez, que as organizações internacionais devam trabalhar em paz”, conjectura o religioso.

Nascido em 1852, lama Itiligov, que morreu meditando na posição de lótus, era um importante líder espiritual na época da Rússia czarista, antes da revolução Bolchevique, que teve início em 1917.

Itiligov morreu em 1927, um ano após os monges budistas serem avisados para abandonar a União Soviética, sob ameaça de serem aniquilados pelos comunistas Bolcheviques.

Como último desejo, o monge pediu para ser enterrado na posição de lótus - sagrada para os praticantes da religião.

Publicidade

Quando os restos mortais foram examinados em 1955 e em 1973, os monges ficaram espantados com o perfeito estado de preservação do corpo de Itiligov. À época, a descoberta foi mantida em segredo das autoridades soviéticas.

Nova análise em 2002

Em setembro daquele ano o corpo de Itigilov foi exumado pela terceira vez, na presença de líderes budistas, cientistas e patologistas.

Na ocasião, peritos constataram que o corpo do religioso parecia estar morto apenas a 36 horas. Ele não apresentava sinais de decomposição, apesar de estar morto há 89 anos.

Médicos avaliaram que o monge ainda continha músculos e tecidos, além das juntas flexíveis estarem intactas.

Céticos acreditam que o lama fora preservado em sal. Porém, crentes dizem que ele está num estado de sono profundo chamado pelos budistas de nirvana. Para eles, Itigilov ainda vive.

Na galeria de imagens, a primeira foto do artigo expõe o corpo intacto do religioso. A segunda mostra o suposto monge no centro de um tapete. O último retrato evidencia ele sentado no sofá, enquanto o tapete pode ser visto sem ninguém.

E você, caro leitor, o que acha dessa história? Fato ou farsa? #Mídia #Curiosidades #Viral